Acostumados a uma tendência simplista em muito da religiosidade atual, na concepção de produção arquitetônica para monumentos espirituais, esquecemos muitas vezes dos primórdios do reconhecimento de uma arquitetura espiritual no Brasil.

A arquitetura religiosa cataloga 297 igrejas e capelas, sendo a mais importante estrutura seiscentista que ainda subsiste no Brasil como a mais antiga proveniente da Igreja do colégio da Companhia de Jesus, em Salvador – Bahia.

Esta igreja como um pequeno relato, não possui um nome de arquiteto a ser relacionado porém oferece grandes oportunidades de aprendizado por se tratar de um monumento com características portuguesas para um começo, quanto as concepções de entendimento da estrutura das igrejas, quanto ao desenho da fachada e da organização das torres.

Robert Smith, pesquisador português, fala um pouco quanto a qualificação das igrejas brasileiras para relação das igrejas portuguesas, com as fachadas arqueadas e as paredes curvas da nave, capelas-mor e torres que se distinguem nas igrejas principalmente mineiras e cariocas.

Quanto a concepção de igrejas com a relação do antigo e do novo, entender alguns desses exemplares credita valores ao que se conhece atualmente, porém formula o questionamento de como a história de uma arquitetura bem desenhada antigamente faz com que se entenda a condição de repertório para o desenvolvimento de bons projetos atuais, mesmo de forma simplista como acontece nos dias de hoje.

Fonte: Obvious

Faça um comentário