O Papa Francisco assegurou que a família é uma instituição essencial para a sociedade, pois é o melhor antídoto contra os individualismos extremos e egoístas.

O Santo Padre fez essa afirmação em uma mensagem de vídeo dirigida aos participantes do III Simpósio Internacional sobre a Exortação Apostólica Amoris laetitia, convocada pela Pastoral da Família da Conferência Episcopal Italiana.

Em sua mensagem, o Pontífice assinalou que “o amor entre homem e mulher é uma das experiências humanas mais férteis, é fermento da cultura do encontro e traz ao mundo de hoje uma injeção de socialização”.

Destacou um fragmento da Exortação Apostólica, no qual afirma que “o bem da família é decisivo para o futuro do mundo e da Igreja”.

Veja também:
Cardeal adverte sobre inclusão da ideologia de gênero
Padre fica ferido em capotamento de carro no Espírito Santo

Nesse sentido, indicou que “a família que nasce do matrimônio gera grandes vínculos que funcionam como o antídoto mais eficaz contra o individualismo, embora também no caminho do amor conjugal e da vida familiar surjam situações que exigem escolhas complexas que devem ser tomadas com retidão”.

Francisco sublinhou a importância do acompanhamento pastoral aos pais e esposos. “É importante não deixar os cônjuges sozinhos, os pais, devemos acompanhá-los no esforço de aplicar o Evangelho nas situações concretas da vida”, porque, “na realidade doméstica, às vezes há obstáculos concretos que devem ser abordados com cautela por parte de cada um”.

Por outro lado, “sabemos bem, como indica a Amoris laetitia,’somos chamados a formar consciências, não substituí-las’. O mundo contemporâneo tende a confundir o primado da consciência, que sempre deve ser respeitado, com a autonomia exclusiva do indivíduo no sentido das relações que vive”.

O Bispo de Roma destacou que “no íntimo de cada um de nós existe um lugar onde o Mistério se revela e ilumina a pessoa, tornando-a protagonista da sua história. A consciência, como recorda o Concílio Vaticano II, é este ‘núcleo secreto’, o sacrário do homem, onde ele fica sozinho com Deus, cuja voz ressoa na intimidade”.

“O cristão deve vigiar para que nesta espécie de tabernáculo não falte a graça divina, que ilumina e fortalece o amor conjugal e a missão parental. A graça transborda as ânforas dos corações humanos com uma extraordinária capacidade de entrega, renovando para as famílias de hoje o milagre das Bodas de Caná”.

Finalmente, o Papa Francisco expressou seu desejo de que “este Simpósio ajude a Igreja na Itália a assimilar e desenvolver os conteúdos e o estilo da Amoris laetitia, e que possa contribuir na formação dos animadores de grupos familiares em paróquias, associações e movimentos; e amparar o caminho das famílias, ajudando-as a viver a alegria do Evangelho e a ser células ativas na comunidade”.

Fonte: ACI Digital

Faça um comentário