Após perder 5 bebês costureira da à luz e diz: 'É meu milagre'
Após perder 5 bebês costureira da à luz e diz: 'É meu milagre' (Foto:Divulgação)

Após perder cinco bebês durante as gestações, a costureira Brunna Carneiro Brito, de 27 anos, realizou o sonho de ser mãe.

Durante a sexta gravidez ela descobriu que tinha trombofilia, uma doença que provoca abortos espontâneos, e passou por um tratamento no qual fez uso de 210 injeções Clexane.

O tratamento começou quando ela descobriu que estava grávida pela sexta vez, e terminou 37 semanas depois – um dia antes do nascimento da pequena Ísys Mayara.

Veja também:
Devota da Virgem Maria fala em milagre após superar acidente e dois infartos
Imagem abençoada do Senhor dos Milagres resiste a 10 dias debaixo de água e lama

A menina veio ao mundo no dia 3 de junho de 2017, de forma saudável e pesando 2,8 kg, na Casa de Saúde Bom Jesus, um hospital público de Caruaru, no Agreste de Pernambuco.

“Ísys é uma bênção, minha vitória, é meu milagre. Porque não é fácil você engravidar e depois de três meses saber que seu filho está morto. Mas eu acreditei muito em Deus, tive muita fé que iria conseguir ser mãe. Persisti e hoje tenho minha filha aqui comigo”, disse Brunna emocionada.

A descoberta da doença

A costureira decidiu procurar um médico quando perdeu três bebês. “Eles [os médicos] diziam que era normal, mas eu sabia que tinha algo de errado”, relatou ao G1.

Brunna contou que o último médico, o obstetra Fábio Lyra, com o qual ela se consultou foi quem descobriu a doença. Ele explicou que perder bebês após três ou quatro meses de gestação não era normal. “Principalmente no meu caso, porque eu pedi meus filhos sem sangramento ou dor”, acrescentou.

Após realizar exames, a costureira descobriu a trombofilia. O tratamento para a doença começou quando ela engravidou de Ísys. “Minha gravidez foi assim: feliz, mas delicada e com muito medo, porque já havia perdido outros filhos. Tomei a última injeção na noite do dia 2 de junho. Na noite seguinte, ela nasceu”, lembrou.

“Hoje eu agradeço primeiramente Deus, depois ao médico e à minha mãe. A minha mãe me ajuda até hoje a cuidar dela [de Ísys]. Se não fosse isso, minha filha não estaria comigo hoje”, comemorou Brunna.

Trombofilia

O G1 conversou com a ginecologista Nilene Oliveira e ela explicou de qual forma esta doença pode ocorrer. “Algumas mulheres têm uma pré-disposição para desenvolver trombos, elas possuem uma doença trombofílica – que leva à trombofilia.

Esses trombos podem suprimir algumas artérias. E as artérias uterinas podem sofrer microtromboses – que interferem na pressão arterial, podendo a mulher desenvolver a hipertensão durante a gravidez e ainda perder o bebê”, explicou a especialista.

“As mulheres que são diagnosticadas com a trombofilia têm que fazer a aplicação de uma heparina de baixo peso molecular [durante a gravidez]. E essa heparina, como a injeção ‘Clexane’, evita a coagulação. Desta forma, a mulher pode conseguir levar a gravidez até o final e faz com que o bebê nasça saudável”, completou.

Fonte: G1

Faça um comentário