biblia-continua-sendo-o-livro-mais-lido-no-brasil-aponta-pesquisa-catholicus
biblia-continua-sendo-o-livro-mais-lido-no-brasil-aponta-pesquisa-catholicus(Foto:Divulgação)

A Bíblia segue sendo o livro mais lido no Brasil, segundo a pesquisa “Retratos da leitura no Brasil”, do Instituto Pró-Livro, que entrevistou mais de 5 mil pessoas classificadas como “leitores” – isto é, que tenham lido pelo menos um livro, inteiro ou em partes, nos últimos três meses – em todo o país sobre os seus hábitos de leitura.

O estudo foi feito em 2015 e está em sua 4ª edição.

42% dos entrevistados afirmam ter lido algum trecho da Bíblia no último ano.

Veja também:
O que ocorreria se tratássemos a Bíblia como o nosso celular?, pergunta o Papa
Saiba mais sobre a Bíblia

Entre pessoas com 70 anos ou mais, essa porcentagem chega a 63%, enquanto que o índice mais baixo, 24%, se encontra entre os 14 e os 17 anos. A partir dos 18, porém, nenhum gênero literário supera a leitura da Bíblia.

Em números absolutos, 225 dos entrevistados disse que o último livro lido ou sendo lido no momento é a Bíblia.

Em segundo lugar, estão Diário de um banana e Casamento blindado, apontados por 11 pessoas cada. A Bíblia ainda é citada por 482 pessoas como o livro mais marcante.

Além disso, o gênero religioso, classificado separadamente da Bíblia, aparece como o gênero mais lido, ao lado de contos e romances, cada um com 22%.

Aqui também se verifica um crescimento gradual da porcentagem de livros lidos do gênero religioso, de acordo com a idade, entre os 14 e os 69 anos.

Quanto à motivação para ler, verifica-se que a leitura por “motivos religiosos” encontra seu menor índice – 1% – entre os 14 e os 17 anos, mas cresce rapidamente a partir daí, passando para 4% entre os 18 e os 24, chega aos 9% entre os 25 e os 29 e alcança 25% a partir dos 50 anos de idade.

Ainda assim, quando perguntados sobre se alguém os incentivou a ter gosto pela leitura, apenas 1% declararam que foram influenciados por um pastor, padre ou líder religioso.

Já 11% citaram a mãe ou alguma responsável do sexo feminino, enquanto 7% se referiram a um professor ou professora.

Fonte: Sempre Família

Faça um comentário