De 17 a 19 de novembro, acontecerá o “Acampamento para as Novas Comunidades”, na sede da Comunidade Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP).

O encontro contará com a participação do Arcebispo de São Paulo, Cardeal Odilo Pedro Scherer; do Arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta; do Bispo de Guarulhos (SP) Dom Edmilson Amador Caetano; do Cofundador da Comunidade Mar a Dentro padre Douglas Metran; do sacerdote da Diocese de Osasco (SP) padre José Eduardo Archives; da fundadora da Comunidade Presença, Lucimar Maziero; e do fundador da Comunidade Face de Cristo, Aluízio Nóbrega.

Com o tema  “O amor de Deus foi derramado em nossos corações” (Rm. 5,5), o encontro tem como objetivo dar oportunidades para as Novas Comunidades viverem, juntas, a atualização de sua experiência com Deus, para o fortalecimento de sua missão e carisma.

Na programação do encontro, constam pregações, momentos de oração e celebração da Santa Missa.

Leia também:
Em prefácio de livro, Papa diz que suas entrevistas têm valor pastoral
Papa: Brasil precisa que os seus padres sejam sinal de esperança

Sobre as Novas Comunidades

No decurso dos séculos, o Espírito sempre suscitou, na Igreja, realidades novas que servem como uma resposta aos desafios da Igreja no seu tempo. Na modernidade, os ares do Concílio Vaticano II (1962-1965) favoreceram o surgimento de “novas formas de vida evangélica”, dentre elas, os Movimentos Eclesiais e as Comunidades Novas, ou podemos chamar de Novas Comunidades.

As Novas Comunidades começaram a surgir, na década de 1970, na França e nos EUA, tornando-se um fenômeno mundial. No Brasil, as primeiras Comunidades Novas surgiram, na década de 80. Já na década de 90, viu-se o surgimento de inúmeras Novas Comunidades, as quais, hoje, superam o número de 500 no Brasil.

O Concílio do Vaticano II pedia uma Igreja inserida no mundo, capaz de atraí-lo para Cristo e dar respostas aos desafios de seu tempo. Papa João Paulo II, na memorável Vigília de Pentecostes, de 1998, chamou os Movimentos Eclesiais e as Novas Comunidades de “providencial resposta do Espírito”. Isso porque, por meio das Novas Comunidades e Movimentos Eclesiais, leigos que se consagram a Deus, a partir de um carisma, e sob o dom e a radicalidade desse carisma, vivem o seu batismo de forma autêntica num mundo dilacerado pelo secularismo.

Fonte: Canção Nova

Faça um comentário