Pe. Luis Carlos de Cerqueira,  participante do CONADIZ e pároco na Paróquia Senhor do Bonfim, Arquidiocese de Feira de Santana/BA, gentilmente nos ofereceu mais uma oportuna apreciação sobre 2º CONADIZ, realizado de 19 a 23 de setembro em Aparecida/SP, aconteceu paralelo ao 12º CONAGE. Pe. Luis Carlos diz que o Congresso sobre Dízimo trouxe novas ideias para que a Igreja possa beneficiar sua missão, uma vez que a Pastoral do Dízimo está presente em todas as comunidades, sendo realidade na Igreja do Brasil. Sendo assim, o Congresso  constituiu um momento de formação, conhecimento e atualização. Organizado pela Promocat, teve a participação de palestrantes reconhecidos e profissionais, a exemplo de: Daniela Viek, Pe. Cristovam Lubel, Pe. Joãozinho, Ir. Afonso Murad e Dom Edson Oriolo. A equipe de redação da revista Paróquias destaca as observações e impressões que o Pe. Luis Carlos apontou ao participara das palestras, segundo ele:

Na palestra “Organizar, reorganizar e fortalecer a Pastoral do Dízimo”, com Pe. Cristovam Iubel, trouxe uma reflexão contundente acerca da necessidade da Pastoral do Dízimo na comunidade, já que esta pastoral estimula a evangelização nas mais variadas pastorais. Entretanto, ainda é crucial a falta de formação, pelo fato de não haver uma conscientização das pessoas que fazem parte das comunidades. O palestrante sugeriu uma constante movimentação para que as pessoas sintam-se estimuladas, a exemplo de organização de missas dos dizimistas, semana do dízimo, palestras e cursos.

Na mesma linha de pensamento, Antoninho Tatto, na palestra sobre “Dízimo: fidelização, perpetuação de resultados – manutenção do sistema”, apresentou um questionamento: quais os motivos que levaram o povo a não contribuir com o dízimo?  Diante de uma série de fatores, foram pontuados: a falta de acolhimento dos padres, secretários e plantonistas, e ausência de prestação de contas. Uma vez que a comunidade ignora a finalidade dos recursos financeiros em especial, o dízimo, a tendência é não valorizá-los, pelo fato de não ter consciência de pertencimento, bem comum.

Dom Edson Oriolo, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, na palestra “A arte de planejar a pastoral do dízimo”, a Pastoral do Dízimo deve ir além, atentando para o planejamento, a partir de objetivos claros e realizáveis. E em um nível bem apurado Pe. Gladstone Elias, em sua palestra de tema “Novas formas de captação de recursos para manutenção do dízimo”, traçou diferenças entre dízimo e captação de recursos. Sendo o dízimo uma contribuição voluntária, regular, periódica e proporcional aos rendimentos recebidos que todo batizado deve assumir como obrigação pessoal.  Já a captação de recursos constitui uma organização sem fins lucrativos que auxiliam a determinadas instituições. Diante disso, chega-se a conclusão de que o dízimo tem a base bíblica, por ser sinal de maturidade de fé. Além disso, o palestrante valorizou a importância da formação constante dos agentes voluntários para a Pastoral do Dízimo, bem como no investimento na Comunicação e Marketing.

Pe. Luis ainda confere a palestra com Daniela Viek sobre “Plano de Marca Pessoal – Personal Branding – Potencializando o melhor de você”, segundo ele é importante saber da necessidade de cada cristão deixar a sua marca na história, sendo o dízimo um verdadeiro exemplo, uma vez que o mesmo constitui uma base importante para levar o Evangelho do Cristo Ressuscitado.

A palestra “Dízimo e oferta: como a Ciência Contábil pode ajudar no dia a dia da paróquia”, com Renato Camargo de Mendonça, Ecônomo da Diocese de São João da Boa Vista/SP, constituiu mais um momento de aprendizagem. Ele falou que dinheiro e fé são dois elementos que devem ser alicerçados na espiritualidade. Que cada indivíduo é chamado a viver em coerência, em um mundo extremamente capitalista. A Igreja contemporânea é chamada a agir com transparência em suas ações financeiras, para não correr o risco de cair no descrédito dos fieis, pela falta de cuidado e atenção.

Padre Joãozinho, um grande comunicador da atualidade, falou sobre “Navegar é preciso: o uso do celular na gestão eclesial”, e ele apresentou a importância da tecnologia na conscientização da comunidade, além de valorizá-la por meio de mensagens, convites, reflexões. Nesse patamar, a igreja acompanha os avanços da tecnologia, sem cair na superficialidade.

Dom José Maria Maimone, “Dízimo: questão de Fé e Amor”, escreveu um testemunho apresentado por escrito na apostila que todo participante recebeu, e  segundo Pe. Cerqueira, Dom Maimone apresentou um verdadeiro testemunho acerca da importância do dízimo na vida do cristão, porque quanto mais se aprofunda no conhecimento e no amor a Deus e à Igreja, mais se leva o povo a entrar no espírito do dízimo, consequentemente, levando-o ao conhecimento Desse Deus e aos ensinamentos de Cristo: isso é ser Igreja e isso é ser Dizimista.

Diante do tudo que o 2º CONADIZ apresentou, para Pe.  Luis Carlos chega à conclusão de que o bom católico é aquele que participa da Igreja, sendo que participar vai além das celebrações: é ver a Igreja como uma grande família, na qual cada um tem o seu papel, sendo o Corpo de Cristo. O Congresso Nacional da Pastoral do Dízimo – CONADIZ, representou um  momento de renovação e autorização dos participantes das mais variadas funções, sendo que o dízimo nada mais é que o presente de Deus que volta como mais um benefício na vida cristã. Dízimo não é só financeiro. É evangelização e compromisso de todos que comungam da fé no Cristo.

E ainda Pe. Luis deixa um recado importante para o leitor e internauta: “que as dioceses incentivem seus sacerdotes e administradores a participarem de congressos como esse para que possam colocar em prática os conhecimentos que aprenderam, nas suas diversas paróquias que administram”.

Participe do 3º CONADIZ – Se inscreva já pelo site www.conadiz.com.br, pelo e-mail [email protected] ou ainda pelo telefone (12) 3311-0665.

Faça um comentário