A diocese é uma porção do povo de Deus, confiada ao governo pastoral de um bispo, com a colaboração do presbitério. Em geral, ela compreende os fiéis de um determinado território.

Conheça o CONAGE – Congresso Nacional de Gestão Eclesial

De tal modo está unida ao bispo como pastor e, pelo Evangelho e pela eucaristia, encontra-se reunida por ele na força do Espírito Santo, que a diocese constitui uma Igreja particular, na qual está a verdadeiramente presente e operante a Igreja de Cristo una, santa, católica e apostólica. A cúria diocesana é o conjunto de organismos com os quais o bispo governa pastoral e administrativamente a diocese.

Assine a Revista Paróquias e receba em casa material sobre Gestão Eclesial

A vida litúrgica da diocese tem como centro a eucaristia, presidida pelo bispo na igreja catedral. Em geral, a diocese recebe o nome da cidade onde se encontra a sede do bispo.

A diocese tem a responsabilidade de exercer a missão evangelizadora. Por isso, deve evangelizar e santificar os arquidiocesanos e os setores humanos e culturais que estão em sua circunscrição.

Para facilitar na administração da diocese e representá-la junto ao povo de forma mais direta, o bispo se faz valer dos sacerdotes que dirigem e pastoreiam unidades menores, que são as paróquias. Nelas eles evangelizam, santificam e governam os fiéis.

Célula básica da diocese

A paróquia é a célula básica da diocese. Está ligada à diocese de maneira vital, profunda e dinâmica.

A paróquia é uma comunidade estável e pública de cristãos. “A paróquia deve caracterizar-se, sobretudo, pela união de pessoas, para que possa apresentar-se como verdadeira comunidade de fé, de graça e de culto, presidida pelo pároco” (Congregação para os Bispos. Diretório para o ministério pastoral dos bispos, no. 211).

A paróquia faz parte integrante da diocese. Ela só pode ser compreendida em referência permanente à diocese.

[Você conhece a ExpoCatólica?!]

A paróquia constitui uma unidade fundamental da diocese. Ela é célula viva da diocese, “na qual os cristãos de um povoado ou de um bairro vivem a comunhão de fé, de culto e de missão com a Igreja diocesana e, por meio dela, com todo o corpo das Igrejas” (Pe. Miguel Payá. A Paróquia, Comunidade Evangelizadora, p. 52).

Integrados à Igreja pelo sacramento do batismo, os cristãos são chamados a tomar consciência de sua pertença efetiva e afetiva tanto à diocese como à paróquia. “Toda pessoa que renova os fundamentos de sua vida cristã e que seja realmente conduzida pelo Espírito terá como fruto e manifestação a adesão como membro e força ativa na Igreja diocesana e a efetiva participação e cooperação na paróquia, sentindo-se responsável, ou melhor, co-responsável na renovação da Igreja e na expansão do evangelho” (Dewet Virmond Taques Júnior. Corpo do Senhor. Evangelização Fundamental.1º Anúncio – 3ª Etapa, p. 132-133).

Paróquia, presença próxima da diocese

A paróquia é a presença próxima da diocese no meio do povo. Ela surge e se configura para aproximar a Igreja diocesana de todos os seus fiéis.

A paróquia é a unidade menor da diocese em todos os povoados, bairros e lugares. É o sinal visível da Igreja diocesana que se faz presente junto dos lares dos cristãos com todas as suas riquezas e responsabilidades.

Na paróquia os fiéis vivem a comunhão de fé, de culto e de missão com a diocese. A paróquia acompanha o crescimento das pessoas e dos povos no seguimento de Jesus Cristo, o Salvador.

Inserida na diocese, a paróquia constitui uma comunidade cristã integral. É uma manifestação completa da Igreja porque acolhe todos os batizados, qualquer que seja seu nível de amadurecimento cristão, idade, sexo, condição social, categoria cultura e mentalidade política.

Pelo seu caráter eclesial, a paróquia une todos os fiéis na vivência comum e radical da fé cristã. Ela realiza a missão evangelizadora da Igreja com todas as atividades que comporta. Apóia e favorece a unidade eclesial e a inter-relação dos fiéis.

Na diocese a paróquia é uma comunidade cristã que convoca e reúne os fiéis. Encarna a comunhão eclesial no ambiente concreto, geográfico e cultural do povoado e do bairro.

[Visitantes também têm lugar na ExpoCatólica]

A paróquia deve sempre estar união profunda e perene com a diocese. Fiel ao magistério eclesiástico e às diretrizes do bispo, ela deve assumir o projeto diocesano e colaborar nos planos pastorais da diocese.

Pe. Eugênio Antônio Bisinoto, CSsR é Sacerdote Redentorista e escritor. Autor do livro: “Para Conhecer e amar Nossa Senhora”, publicado pela Editora Santuário.

Fonte: Revista Paróquias, ed. 26. Para ler mais matérias sobre gestão eclesial, assine já: (12) 3311-0665 ou [email protected]

Faça um comentário