Conheça um dos maiores clássicos da literatura cristã de todos os tempos
Conheça um dos maiores clássicos da literatura cristã de todos os tempos (Foto:Divulgação)

Os cristãos já nasceram sob uma perseguição implacável dos poderosos deste mundo – e continuam sofrendo perseguição implacável até o dia de hoje, apesar do silêncio cúmplice da grande mídia que evita abordar relatórios como o deste link, sobre os números que colocam o cristianismo como a religião mais perseguida do mundo inclusive na atualidade.

Um dos mais famosos e sangrentos períodos de terror humano para os seguidores de Cristo aconteceu sob o império de Nero, que reinou em Roma do ano 54 até 68 d.C.

Para evitar que São Pedro, o Papa, fosse executado pelos perseguidores imperiais daquele tempo, os cristãos da comunidade romana o aconselharam a sair da cidade.

Veja também:
Por que Nossa Senhora é Mãe da Igreja?
O significado de cada parte da Ave-Maria

O primeiro Papa sentiu com força aquele dilema entre permanecer em Roma e resistir junto com a Igreja nascente ou fugir para a Galileia e pregar o Evangelho a partir de lá.

É nesse contexto que se desenrola a história de uma das mais extraordinárias obras da literatura cristã de todos os tempos: Quo Vadis, do autor polonês Henryk Sienkiewicz.

O título, em latim, significa “Aonde vais?” – e você já vai entender em que contexto aparece esta pergunta.

No relato, o grave contexto de perseguição faz com que Pedro resolva abandonar a Cidade Eterna. De manhã cedo, porém, quando vai atravessar a Porta Latina para sair de Roma, ele é atingido por uma luz intensa que vem na sua direção. Quando a luz se aproxima, ele reconhece Jesus, que vem caminhando com a cruz sobre os ombros.

Pedro cai de joelhos perante o Senhor, ergue-lhe os braços e pergunta em latim:

“Quo vadis, Domine?” – ou seja, “Para onde vais, Senhor?”

E Cristo responde:

“Já que abandonas o meu povo, eu vou a Roma para ser crucificado mais uma vez”.

Foi quando o Apóstolo entendeu com toda a clareza que, a exemplo de Cristo, ele também devia ficar em Roma e, se fosse preciso, encarar a morte – e morte de cruz.

Envergonhado por ter tentado poupar-se, mesmo que fosse com a justificativa de continuar pregando o Evangelho em segurança, Pedro voltou a Roma para junto da comunidade perseguida.

E a continuação da história todos nós conhecemos: São Pedro foi preso e sofreu o martírio por Cristo em torno ao ano 64 d.C., crucificado de cabeça para baixo na colina do Vaticano.

Fonte: Aleteia

Faça um comentário