Estive na Arquidiocese de Curitiba orientando um seminário sobre a revitalização da Pastoral do Dízimo. Participaram mais de 180 pessoas daquela viva e dinâmica porção do Povo de Deus.

Na véspera do encontro, recebi as “Diretrizes para a Pastoral do Dízimo”, elaboradas pela comissão da dimensão econômica da arquidiocese. Uma excelente apresentação foi feita pelo Arcebispo Dom Moacyr Vitti que, dentre tantas luzes e pistas, afirma: “Nossa intenção é entregar essas orientações às equipes da Pastoral do Dízimo das paróquias, setores pastorais e da arquidiocese, para ajudá-las a planejar, organizar, agilizar e implementar a Pastoral do Dízimo”.

Com estes ensinamentos, abriram-se horizontes e foram apresentados rumos bem definidas para a dinamização desta pastoral que atenderam as orientações de Aparecida: “O projeto pastoral (…) deve ser resposta consciente e eficaz para atender às exigências do mundo de hoje ‘com indicações programáticas concretas, objetivos e métodos de trabalho, formação e valorização dos agentes” (DAp, 371).

Conheça o CONADIZ – Congresso Nacional da Pastoral do Dízimo e da Partilha
Assine a Revista Paróquias e receba em casa material sobre Gestão Eclesial

Assim sendo, constatei que estavam presentes, nesse seminário para formação e conscientização sobre o dízimo da arquidiocese, três elementos importantes para uma organização estrutural de uma ação evangelizadora: senso de missão; um excelente planejamento estratégico, transformando metas em objetivos e a estrutura organizacional.

SENSO DE MISSÃO

O senso de missão da equipe central da Pastoral do Dízimo da Arquidiocese de Curitiba, comum a todos os membros, consiste em experimentar a graça de Deus em forma de partilha. São apaixonados em fazer a experiência dizimal e o dízimo torna-se uma oração silenciosa que atinge profundamente o coração de Deus. É uma maneira de dizer muito obrigado ao Senhor (cf. Ml 3,10).

Este espírito deve estar na mente e no coração de todas as lideranças. Por isso, deve também existir um clima de tranquilidade, de confiança e de plena aceitação dos afetos, sem se descuidar de preceitos e do trabalho. Tudo isso representa um ideal absoluto de organização. Todos precisam dar o melhor de si em competência e habilidade para fortalecer o trabalho de conscientização do dízimo, haja vista que diante desse modelo de missão, os líderes precisam criar espaços para que os membros possam melhorar cada vez mais a pastoral.

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

A equipe teve consciência e soube escolher as coisas certas para fazer. Determinaram objetivos e metas, concentrando esforços no sentido de concretizá-los. O grupo foi rápido em transformar as ideias desenvolvidas em metas de longo prazo, para um período de seis meses. Transformou metas em objetivos específicos de curto prazo. As metas e objetivos foram de acordo com as diretrizes arquidiocesanas sobre Pastoral do Dízimo.

As metas e objetivos deram um verdadeiro dinamismo para a pastoral em recursos e capacidades. Essa dinâmica requer que o pároco e os coordenadores fundamentem novas ideias que determinem ações capazes de unir a comunidade em prol das necessidades comuns à pastoral, que exige dedicação e compromisso na missão confiada.

 A ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

A estrutura organizacional foi um fator interno extremamente importante e decisivo no seminário. Ela estava totalmente delineada de acordo com os objetivos e estratégias estabelecidos e foi uma ferramenta básica para alcançar o que se almejava.

Um verdadeiro senso de organização! As forças vivas conheciam suas responsabilidades e capacidades. Novas ideias foram estimuladas. Percebi que o grupo carregava uma formação consistente, flexibilidade e capacidade de criar, planejar e implementar novos projetos para a dinamismo da Pastoral do Dízimo na  arquidiocese  e nas paróquias.         

A realização deste seminário foi a demonstração de que é possível desenvolver “um plano de pastoral orgânico e articulado que se integre em projeto comum as paróquias, comunidades, comunidades de vida consagrada, pequenas comunidades, movimentos e instituições que incidem na cidade, e que seu objetivo seja chegar ao conjunto da cidade” (DAp, 518b).

CONCLUSÃO 

À medida que esse exemplo possa ser utilizado em sua comunidade paroquial, a Pastoral do Dízimo vai criando novos rumos para dinamizar e colher frutos. Lembre-se que cada envolvido e responsável por essa pastoral, é fundamental acreditar na potencialidade que exerce, em vista de contribuir para que a comunidade alcance metas favoráveis para beneficiar a comunidade de fiéis dizimistas.

Côn. Edson Oriolo é Mestre em Filosofia Social, Especialista em Marketing, Pós- Graduado em Gestão Estratégias de Pessoas, Professor na Faculdade Arautos do Evangelho e Pároco da Catedral Metropolitana de Pouso Alegre/MG.

Contato: [email protected]

Fonte: Revista Paróquias, ed. 33. Para ler mais matérias sobre gestão eclesial e pastoral do dízimo, assine já: (12) 3311-0665 ou [email protected]

Faça um comentário