Quatro personagens do mundo esportivo fizeram parte do especial “Navidad com Jesús”, realizado pelo canal ‘Iglesia Católica Montevideo’ (ICMtv), do Uruguai, programa que “pretende recolher e difundir a fé em Deus e a abertura à transcendência de diferentes atores sociais”.

Durante o encontro, o jornalista esportivo Javier Máximo Goñi entrevistou o ex-capitão da seleção uruguaia Andrés Scotti, para conversar sobre o Natal e o lugar que deus ocupa em sua vida. Também apresentaram seus testemunhos o diretor técnico da seleção uruguaia Martín Lasarte; o zagueiro, Agustín Viana; o meio-campista, Ignacio González; e o ex-jogador Andrés Fleurquin.

Na conversa, Andrés Scotti recordou os natais em família e a vida na vizinhança. Reconheceu não ser “tão praticante” do catolicismo, mas tenta transmitir a seus filhos a fé e faz o sinal da cruz ao entrar em campo para pedir a Deus “que ninguém se lesione. Se Ele me dá a saúde, o resto depende de mim. É preciso ser coerente”.

Comentou várias histórias de sua experiência esportiva em diferentes equipes e como vive a espiritualidade. “O espiritual conta muito (…) No conjunto dos valores, tem um peso maior porque está em convivência permanente dentro do jogo e fora do campo (…) Para mim, é importante, porque todo o tempo estamos falando conosco”, disse Scotti.

Enquanto isso, Martín Lasarte comentou que, com os anos, o Natal se tornou mais reflexivo, pois foi dado um momento para avaliar o que aconteceu.

No campo, Lasarte respeita o “espaço” de cada um, mas reconheceu que “há coisas que unem a todos; a união, o companheirismo, a firmeza em defender um objetivo todos juntos é muito comum, isso vale para qualquer um e texto fazer com que esteja presente”.

Sobre o significado de Deus, “é uma referência, um companheiro, um objetivo a seguir. Às vezes, tento leva-lo às pessoas que estão ao meu redor, aos meus filhos”, expressou Lasarte.

Por sua vez, o ex-jogador Andrés Fleurquin disse que foi marcado pela intensidade e espiritualidade da Missa do Galo vivida em 2008 na Espanha e expressou que quem tem Jesus Cristo “o leva permanentemente na vida profissional, familiar, em todos os lados”.

“Tento viver o Evangelho diariamente e, dessa forma, estar em contato permanente com Deus. Levantando-me pela manhã agradecendo pelo outro dia, por todas as coisas que não sou merecedor de tê-las, pelos dons, as amizades. Depois, fazer o trabalho da melhor forma possível”.

“Do lugar que nos cabe, devemos tentar ser santos”, disse Fleurquin e recordou quando aprendeu com um sacerdote que “a vida é o tempo que Deus nos dá para ganharmos o céu”, concluiu seu testemunho.

Agustín Viana, que até poucas semanas atrás jogou na equipe uruguaia Danubio, recordou com carinho o Natal de 2010 em Roma, onde viveu a “universalidade da Igreja”. Confessou que tentam viver este tempo “de maneira muito cristã, dando-lhe a importância que tem”, preparando a Coroa do Advento, as canções natalinas, as leituras, por exemplo.

“Minha vida tem um sentido graças a minha fé em Deus”, disse Viana e acrescentou que “é muito difícil separar a fé cristã do trabalho. Tentamos viver a fé com nossos atos, preocupar-nos com os outros, fazer bem o trabalho”.

Por último, Ignacio González, jogador de Montevideo Wanderers, explicou que, com o Natal, “cada ano se renova a esperança” e que Deus é muito importante em sua vida.

Fonte: ACI

Faça um comentário