Segundo informações da imprensa local, uma mulher de 48 anos entrou parecendo estar “possuída” na Catedral de Tampico, México, e violou várias imagens de santos. Com um pedaço de pau, ela também destruiu vários objetos da igreja, além de rasgar a tela da Virgem de Guadalupe. A imagem ficou destruída e a população do México ficou revoltada com o incidente.

Testemunhas explicaram que a mulher entrou na Catedral correndo e gritando: “Estamos errados!”. De acordo com as investigações, esta não é a primeira vez que a mulher comete um ataque como esse. Foram os fiéis que conseguiram detê-la e entregá-la para a polícia.

Horas depois do ataque, a imagem da Virgem de Guadalupe foi recolocada no lugar.

Imagem de Aparecida também foi alvo de vandalismo

No Brasil, mais uma imagem de Nossa Senhora foi alvo de vandalismo. A igreja matriz do município de Juara, a 709 quilômetros da capital Cuiabá, MT,  foi invadida por vândalos que defecaram no chão e esfregaram as fezes na imagem de Nossa Senhora Aparecida, além de destruírem a ornamentação que tinha sido preparada para as celebrações dos 300 anos do encontro da estátua original.

Leia também:
Homem é flagrado martelando imagem de Nossa Senhora Aparecida em gruta
A história se repete? 300 anos depois, três pescadores encontram imagem da Padroeira em um rio

O Pe. Vagno Reato, pároco da igreja atacada, chegou a chorar quando soube da agressão contra a fé católica e contra a devoção à Mãe de Jesus. Ainda estarrecido, ele declarou à estação de rádio:

“O sentimento que tenho é o de chegar em casa, encontrar minha mãe jogada no chão, maltrapilha, esfarrapada, simplesmente porque alguém se achou no direito de fazer o que dá na cabeça. Isso é muito triste. Como podem existir pessoas assim? O que leva uma pessoa a fazer tal ato na nossa igreja matriz?”

A polícia foi acionada, mas os criminosos ainda não foram identificados.

Nossa Senhora Aparecida tem sido alvo frequente de insultos, intolerância e gestos de aberta agressividade.

Afinal, por que a Mãe de Jesus incomoda tanta gente?

Fonte: Aleteia

Faça um comentário