Arquitetos e construtores alemães, ao que parece, gostam mesmo de enganar o diabo. A Igreja Frauenkirche de Munique, por exemplo, é conhecida por sua “pegada do diabo” o lugar para onde o diabo nunca mais voltou depois de perceber que tinha sido enganado pelo arquiteto da igreja, o inteligente Jörg Von Halsbach. Mas a igreja de Santa Maria, em Lübeck, também tem uma história envolvendo o diabo e os construtores.

Leia também:
De onde veio o diabo?
O papa que enfurece o diabo: São João Paulo II fez exorcismo dentro do Vaticano

Diz a lenda que, quando a grande igreja gótica de Santa Maria estava sendo erguida, o diabo fez uma visita aos trabalhadores e perguntou-lhes o que eles estavam construindo. Temendo demais para dizer a verdade e sabendo que a resposta iria perturbar o diabo, eles disseram que estavam construindo o maior bar de vinhos de todos. O diabo ficou tão feliz ao ouvir isso, que decidiu ajudá-los na obra.

No entanto, quando a igreja estava quase pronta, o diabo percebeu que ele tinha sido enganado. Cheio de raiva, pegou uma grande pedra, com a intenção de jogá-la contra a igreja. Um dos construtores levantou-se e prometeu-lhe que realmente construiria uma taberna. O diabo aceitou o acordo e deixou a pedra de lado. Ainda hoje é possível ver algumas marcas na laje da igreja. Dizem que, supostamente, são sinais das garras do diabo.

Uma pequena estátua de bronze agora cumprimenta aqueles que passam pelo local, quer estejam a caminho da igreja ou, de fato, da taberna Ratskeller, que fica do outro lado da rua.

Fonte: Aleteia

Faça um comentário