A Igreja com Papa Francisco

O ano de 2017 foi repleto de atividades da Igreja, tanto no mundo como no Brasil. É quase impossível relacionar todas as grandes atividades que foram realizadas neste ano.

A missão que o Senhor confiou à Sua Igreja, de pregar o Evangelho a todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, continua sendo realizada. Vimos, neste ano, muitos mártires que pagaram com sua vida no oriente, perseguidos, sobretudo, pelo Estado islâmico. Como disse Tertuliano (†220), o sangue dos mártires continua a ser semente de novos cristãos, onde a Palavra do Evangelho é semeada.

Papa Francisco, com mais de oitenta anos, graças a Deus firme e forte, continuou viajando pelo mundo como o  “Peregrino da Paz”, incansável, cumprindo o seu “múnus petrino”, de confirmar os seus irmãos na fé (Lc 22,32). Neste  ano, ele realizou várias viagens ao exterior: Foi à Colômbia (6-11 de setembro); foi ao Egito (28-29 de abril) e ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima (12-13 de maio) celebrar os 100 anos das aparições da Virgem, e canonizou os pastorinhos Jacinta e Francisco.

Veja também:
O canto angelical desta enfermeira ajudou uma senhora a partir em paz desta vida
No ano mariano, cantora católica tem como missão “cantar Jesus por Maria”

Canonizações

Nosso querido Pontífice realizou muitas outras canonizações de santos. Por exemplo, em 15 de outubro, canonizou os primeiros 30 mártires brasileiros, que foram massacrados pelos calvinistas holandeses, em 1645, em Cunhaú e Uruaçú, no Rio Grande do Norte.

Nesses massacres, morreram 150 católicos. Foram canonizados André de Soveral, Ambrósio Francisco Ferro, Mateus Moreira e 27 Companheiros, cujos nomes são conhecidos. Muitos outros ficaram anônimos.

Além dos nossos mártires, o Santo Padre canonizou também três crianças, os Protomártires do México: Cristóvão, Antônio e João, assassinados por ódio à fé, em 1527 e 1529; crianças que morreram por não renunciar à sua fé em Jesus Cristo, durante a guerra dos Cristeros. São as crianças mártires de Tlaxcala, que representam os mártires de toda a América Latina, porque foram os primeiros a dar testemunho da sua fé; foram os primeiros nativos de etnia americana, convertidos à fé católica, a derramar seu sangue por Cristo no continente. Em todas essas viagens do Papa, sua presença foi marcante.

Em 8 de setembro, ele publicou a importante Carta Apostólica em forma de “motu próprio”, transformando em “Pontifício Instituto Teológico João Paulo II” para as ciências do matrimônio e da família, o que São João Paulo II havia criado como uma instituição.

Neste ano, tendo em vista os 500 anos da Reforma Protestante, inaugurada por Martinho Lutero (31/10/1517), o Papa esteve em um Encontro com os luteranos na Suécia, buscando fortalecer o ecumenismo com as comunidades eclesiais cristãs. Da mesma forma, o Papa os recebeu no Vaticano em um evento.

Nossa Senhora

No Brasil, há que destacar a celebração dos 300 anos da Aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida, em 12 de  outubro de 1717. Em Aparecida do Norte, o Santuário de Nossa Senhora recebeu cerca de 200 mil romeiros no dia 12 de outubro. Papa Francisco enviou uma rosa de ouro à Virgem Aparecida.

Outro evento majestoso, que não pode passar desapercebido, foi o Círio de Nazaré, culto prestado a Nossa Senhora  de Nazaré todos os anos, em Belém do Pará. A devoção do povo paraense à Virgem é tão forte, que resistiu ao tempo, cresceu e se espalhou pelo país. No domingo, 8 de outubro, com o tema: “Maria Estrela da Evangelização”, a fé de milhões de pessoas foi representada num verdadeiro mar de gente pelas ruas de Belém, que chegou a dois milhões de pessoas.

Igreja no Brasil

Como acontece todos os anos na Quaresma, tivemos a Campanha da Fraternidade, patrocinada pela CNBB, com o Tema: “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”, e o lema “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2.15).

De 26 de abril a 5 de maio, mais de 350 bispos do Brasil estiveram reunidos em Aparecida, na 55ª Assembleia Geral da CNBB, Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, tratando de muitos assuntos como: o Ano Mariano, os 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida, o caminho ecumênico, as Novas Formas de consagração e Novas Comunidades, o Sínodo dos Jovens e temas relacionados à realidade socioeconômica e política do Brasil. Também não podemos deixar de lembrar do Jubileu de Ouro da RCC, os 50 anos de bênçãos e reavivamento!

Muitos outros eventos foram realizados no Brasil. De modo especial, podemos destacar o intenso trabalho das Comunidades de Vida e de Aliança (Canção Nova, Shalom, Obra de Maria, Pantokrator etc.) e tantas outras, levando em frente a evangelização, com a realização de grandes eventos, envolvendo milhares de pessoas, reavivando-lhes a fé.

Lembremos também do intenso trabalho pastoral das dioceses e paróquias em todo o mundo, especialmente no que se refere à Pastoral da família, das crianças, dos jovens e adultos. Além do trabalho dos grandes Movimentos, como  o Cursilho de Cristandade, o Catecumenato e tantos outros, mantiveram um forte programa de evangelização.

Fonte: Canção Nova
Autor: Prof. Felipe Aquino

Faça um comentário