A gestão na Igreja e na paróquia vem ampliar a nossa visão de administração, e não só isso, vem nos mostrar que só é possível ter um trabalho eficaz e produtivo se tivermos organização, disciplina e metas.

A Igreja, cada dia mais precisa aplicar em sua estrutura a organização usada na sociedade, nas empresas, afinal também temos um CNPJ e diante das leis federais temos obrigações de uma empresa. E mais, no campo pastoral precisamos ter um trabalho coerente, bem definido para que a nossa comunidade cresça e produza frutos para o Reino de Deus.

3 aspectos importantes da organização paroquial

  1. Arquivos: toda paróquia deve ter um arquivo com os documentos da instituição. Este arquivo precisa ser colocado em um local onde as pessoas não tenham acesso. Somente o pároco e as secretárias, quando necessário, devem mexer. Neste arquivo deve conter as documentações de funcionários, as notas fiscais de aparelhos eletrônicos e outros que possuímos na casa paroquial e na comunidade, os contratos de aluguel, de obras, as notas fiscais do mês vigente, os estratos bancários organizados mês a mês, os seguros de patrimônio: casa, carro, a documentação do veículo em dia, etc.
  2. Arquivo pastoral: toda paróquia deve ter também um arquivo pastoral, onde se tem uma pasta para cada pastoral, movimento ou associação existente na comunidade de fé. Neste arquivo o pároco coloca em cada pasta os eventos que acontecerão, as promoções que teremos durante o ano, os eventos inter-paróquias ou diocesanos, e também deve conter uma pasta onde se guarda a avaliação feita com cada coordenador no final de ano. Esta avaliação além de ser necessária é instrumento para melhorarias no próximo ano.

Conheça o CONASPAR – Congresso Nacional de Secretários Paroquiais
Leve o RECIPAR – Seminário de Secretaria Paroquial para sua paróquia

Neste arquivo também devemos ter o Livro Tombo sempre atualizado pelo pároco, como também os demais livros pedidos pela Igreja: batismo, crisma, primeira eucaristia, casamento e o livro-caixa. Todos estes livros contêm a história de nossa comunidade, por isso, devem ser feitos com responsabilidades, sem rasuras.

A organização de arquivos além de facilitar o trabalho pastoral, também demonstra seriedade, responsabilidade e competência administrativa.

  1. Formação: o pároco por ser pastor de almas deve acompanhar os grupos existentes em sua comunidade. Sem dúvidas que os leigos estão à frente de cada pastoral ou movimento, mas cabe ao pároco ser o primeiro animador das atividades realizadas.

Assine a Revista Paróquias e receba em casa material sobre Gestão Eclesial

Programação anual

O pároco deve se reunir com os seus coordenadores a cada final do ano e programar os eventos que pretendem realizar durante o próximo ano. Deve agendar de 4 a 5 encontros por ano com cada grupo, conforme a realidade e necessidade. Uma coisa é importante lembrar: o padre deve fazer encontros para formar, educar e conduzir o povo. O pároco deve dar diretrizes para a resolução de problemas e diretrizes à luz da fé, do perdão e do amor.

Valorize as pessoas

Em um bom trabalho pastoral o pároco deve sempre valorizar as pessoas. Nunca nos esqueçamos que as pessoas ajudam porque querem, gratuitamente e, por isso, é importante as pessoas se sentirem acolhidas, amadas e valorizadas. Vejamos bem, valorizar é diferente do concordar com tudo. Valorizar significa reconhecer os talentos, capacidades, e quando possível dizer que o trabalho realizado foi bom e frutuoso, dando resultados para Igreja e para o Reino de Deus.

Lembrete

Cabe ao pároco o formar o povo adaptando aquele tema para cada grupo existente. Exemplo: estudar o Documento de Aparecida, os Documentos da Igreja, temas de espiritualidade, mas nunca ir à uma reunião sem tema e sem objetivos.

A gestão paroquial é um desafio que enfrentamos todos os dias. É responsabilidade de todos nós, membros de uma comunidade, fazermos a nossa parte, deixando de lado as nossas vontades e buscando em equipe as reais necessidades que constroem Reino de Deus.

Pe. Alex Sandro Camilo Pároco é Pároco na Paróquia Nossa Senhora da Candelária, São Caetano do Sul/SP, Professor de Introdução à Teologia e História das Religiões Teologia na FAENAC/Anhanguera e cursa de Pedagogia na mesma faculdade, ambos em São Caetano do Sul/SP.

Contato: [email protected]

Fonte: Revista Paróquias, ed. 22. Para ler mais matérias sobre gestão eclesial e administração paroquial, assine já: (12) 3311-0665 ou [email protected]

Faça um comentário