Mais de 20 pessoas morreram, e várias ficaram feridas em um ataque a tiros na Primeira Igreja Batista, em Sutherland Springs, uma pequena comunidade da cidade texana de San Antonio, neste domingo (5) – noticiou a imprensa americana.

O comissário do condado de Wilson, Albert Gamez Jr., disse à AFP ter sido informado de um balanço de “27 mortos e mais de 20 feridos”, mas ressaltou que espera uma confirmação formal desses números.

Citando um policial, a ABC News disse que há 20 mortos e 30 feridos. Outros veículos já falam em pelo menos 27 mortos, também segundo fontes da Polícia.

O autor dos tiros foi abatido, de acordo com a emissora local KSAT12 em sua página da Internet, citando a Polícia.

Leia também:
Igreja submersa há 29 anos no Rio São Francisco é encontrada em Petrolândia, Sertão de PE
Preso, ladrão diz que desistiu de furtar igreja: ‘seria pecado’

Pessoas no local relataram que o atirador entrou na igreja pouco antes do meio-dia e abriu fogo. Testemunhas afirmaram que cerca de 50 pessoas costumam aparecer nesse horário de culto matinal.

Uma criança de dois anos está entre os feridos, informou o site Dallas Morning News.

“Que Deus esteja com o povo de Sutherland Springs, Texas. O FBI & agências da lei estão na cena. Estou monitorando a situação do Japão”, tuitou o presidente americano, Donald Trump, em sua primeira reação.

O governador do Texas, Greg Abbott, ofereceu suas condolências às famílias das vítimas.

“Nossas orações vão para todos aqueles que foram afetados por esse ato demoníaco. Nossos agradecimentos às forças da ordem por sua resposta”, tuitou Abbott, prometendo detalhes sobre o episódio “o mais rápido possível”.

Uma porta-voz do Connally Memorial Medical Center, nos arredores de Floresville, disse à Fox News que “recebemos vários pacientes do tiroteio”, sem detalhar a quantidade.

Helicópteros e equipes de emergência chegaram à cena do crime, e agentes do Escritório de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos estavam se dirigindo para o local, declarou o órgão.

Este tiroteio ocorre apenas um mês após um atirador em Las Vegas matar 58 pessoas e ferir centenas durante um festival de música a céu aberto.

E acontece dois anos depois que o supremacista branco Dylann Roof entrou em uma igreja historicamente frequentada por fiéis afro-americanos em Charleston, na Carolina do Sul, e matou nove pessoas.

Fonte: Aleteia

Faça um comentário