Nunca a Igreja precisou tanto de verdadeiros “empreendedores”. Os padres e leigos envolvidos com a administração eclesial devem ter um comportamento profissional em relação à administração. Aqui, algumas dicas para empreender melhor na sua comunidade:

1. A diferença entre boas ideias e as outras  está no potencial delas serem transformadas em realidade. O empreendedor passa do pensamento à ação e faz as coisas acontecerem. Lembre-se sempre: a diferença entre fazer e não fazer está em fazer. Se você não fizer, não haverá diferença;

2. Faça cursos (www.conage.com.br) de administração básica. Leia e assine revistas (www.revistaparoquias.com.br)  e livros do gênero. Não é preciso ser doutor em contabilidade ou administração para administrar sua paróquia, mas se você não tiver nenhum conhecimento, terá maiores dificuldades;

3. O “padre empreendedor” é aquele que consegue escolher entre várias alternativas e não fica pensando no que deixou para trás. Sabe ter foco e estabelece metas;

4. Cerque-se de pessoas capazes. Se possível, melhores do que você. Em sua comunidade existem contadores, administradores e secretárias que estão prontos para ajudá-lo na administração. Peça ajuda;

5. Planeje! Não seja um administrador eclesial que acha que só porque “trabalha para Deus”, poderá fazer tudo o que quiser sem nenhum planejamento. 80% do tempo gasto nos projetos das grandes empresas são empregados em planejamento;

6. O “padre empreendedor” acredita na sua própria capacidade. Tem elevado grau de auto-confiança e não se deixa abater por críticas infundadas;

7. Não tenha medo do dinheiro. Ganhar dinheiro não é pecado. Pecado é gastá-lo de forma errada ou abrir mão de ganhá-lo para o benefício de todos;

8. O “padre empreendedor” faz uso de sua imaginação. Ele imagina-se sempre vencedor;

9. Lembre-se sempre de que a paróquia não é sua. Pertence à Igreja e está ali para servir, pela caridade e pelo evangelho;

10. O “padre empreendedor” nunca se acha uma “vítima”. Ele não fica parado, reclamando das coisas e dos acontecimentos. Ele age para modificar a realidade!

Pense nisso. Você tem estas características? Como é o seu pessoal? Você já pensou em criar programas para desenvolver no seu pessoal o necessário espírito empreendedor, para melhor administrar sua comunidade e colher melhores frutos para todos?

*Inspirado nos textos do prof. Luiz Marins

 

Compartilhe:

Faça um comentário