No dia 30 de novembro, o Estado de São Paulo, através da Lei 5.701 de 3 de junho de 1987 instituiu o Dia do Teólogo. Para comemorar essa data, padre Joãozinho escreveu as razões que devem motivar um leigo a fazer um curso de teologia.

“Alguns ainda insistem em acreditar que “teologia” é um saber privado de padres e bispos. Não é! Todo cristão é chamado a “dar as razões de sua esperança” (Cf. 1Pd 3,15). Isto é teologia: a ciência da fé. Cremos para entender e entendemos para crer, como dizia Santo Anselmo. Não existe conflito ou incompatibilidade entre fé e razão. Santo Agostinho costumava dizer que se Deus nos fez pensantes, pensar é um jeito de louvar o Criador.

Sou professor de teologia a quinze anos na Faculdade Dehoniana, em Taubaté, onde por treze anos fui o diretor. Tive muitos alunos e alunas leigos, muitos deles com clara vocação de teólogo. Alguns hoje são mestres e doutores em teologia e dão aula até para seminaristas a caminho do sacerdócio. Para ser mais direto e didático procurei reunir quarenta razões pelas quais um leigo poderia se motivar a fazer um curso de teologia.”

1. Para saber dar as “razões da sua esperança”.
2. Crescer na direção de uma “fé inteligente”.
3. Capacitar-se para uma melhor atuação pastoral.
4. Crescer na espiritualidade.
5. Conhecer com maior profundidade a Palavra de Deus.
6. Entender as raízes históricas do cristianismo.
7. Preparar-se para o diálogo com as outras religiões.
8. Entender de modo científico e sistemático a fé cristã.
9. Ler e interpretar os documentos da Igreja (Magistério).
10. Conhecer as belezas da Tradição cristã.
11. Preparar-se para ser um ótimo catequista.
12. Fazer um curso superior com validade civil na área das ciências humanas e estar habilitado pra ingressar em qualquer mestrado.
13. Prepara-se para ser futuramente um pesquisador na área da Teologia, inclusive com apoio dos órgãos de fomento, por exemplo o CNPQ.
14. Encaminhar sua carreira para a docência em alguma das áreas da Teologia.
15. Ter um curso superior em seu curriculum vitae e com isso melhorar sua empregabilidade.
16. Ser reconhecido como especialista em ética cristã.
17. Melhorar a sua auto-estima por ter realizado o sonho de toda uma vida.
18. Muitos fazem da teologia sua segunda faculdade. A primeira foi feita para garantir a sobrevivência (pão nosso) a segunda para o cultivo pessoal (Pai nosso).
19. Ter um amplo leque cultural, inclusive com o conhecimento de línguas como grego, hebraico e latim.
20. A teologia exercita o raciocínio lógico e equilibra mente e coração, inteligência racional e inteligência emocional.
21. É difícíl encontrar um teólogo desempregado pois são poucos os profissionais formados nesta área.
22. Ser contratado por uma paróquia para administrar o setor de pastoral.
23. Ser contratado por alguma editora cristã.
24. Ser contratado por alguma escola confessional para a pastoral escolar.
25. Avançar para mestrado e doutorado em teologia com bolsa da CAPES.
26. Requalificar sua atuação dentro de um movimento de Igreja.
27. Satisfazer inquietações religiosas.
28. Discernir sua vocação.
29. Atuar nos meios de comunicação social.
30. Contribuir na transformação da sociedade.
31. O teólogo tem condições de ser uma instância crítica dos diversos discursos sobre Deus, a Igreja e o fenômeno humano.
32. Ser contratado por empresas para atuar no departamento de Recursos Humanos, por ter esta sensibilidade desenvolvida em sua formação teológica.
33. Ser assessor(a) diocesano(a) de pastoral.
34. Ajudar as pessoas por meio de aconselhamento.
35. Prestar assessorias (cursos nas áreas de Bíblia, Liturgia, Pastoral, Catequese, etc.
36. Pregar retiros espirituais com qualidade.
37. Atuar em ONGs a serviço da promoção humana e defesa da vida.
38. Exercer algum ministério na Igreja.
39. Preparar-se para elaborar uma Teologia do Laicato.
40. Simplesmente avançar para águas mais profundas!

Pe. João Carlos Almeida, scj
Doutor em Teologia

Fonte: Canção Nova

Compartilhe:

Faça um comentário