A evolução da tecnologia científica médica das últimas décadas permitiu estudar e avaliar o comportamento do bebê ainda não nascido, no seu habitat natural. Graças a esses recursos, hoje é possível afirmar que a criança em sua vida intrauterina é um ser humano consciente. De fato, o bebê pode sentir, mas não com a complexidade de um adulto.

De acordo com a Dra. Heloisa Brudniewski, especialista em Ginecologia e Obstetrícia, através do ultrassom é possível perceber que os bebês já esboçam sorriso, caretas, colocam as mãos na boca, mas esses movimentos não necessariamente estão relacionados a emoções do pequeno.

A mesma ideia é reforçada pelo médico Cláudio Basbaum, doutor em Ginecologia e Obstetrícia, que diz que todo o universo de informações provém de “mensagens” passadas ao feto pela figura materna que o abriga. “Isso não quer dizer que preocupações corriqueiras ou ansiedades triviais, venham repercutir negativamente sobre seu filho”, afirma o especialista.

Conheça a seguir coisas que um bebê é capaz de sentir dentro da barriga da mãe que te surpreenderão:

  1. Entre a 18ª e 25ª semana, o feto já possui o sistema auditivo todo formado e é capaz de ouvir o que acontece do lado de fora da barriga da mãe. Vozes, músicas e ruídos são claramente percebidos pelo bebê.
  2. A partir da 17ª semana de gestação, o sistema de equilíbrio do feto já está formando, fazendo com que ele perceba movimentos da mãe. O bebê é capaz de sentir quando a mãe muda de posição, senta, deita, levanta ou agacha.
  3. Bem cedo, logo a partir da 10ª semana de vida, o feto já pode perceber o batimento cardíaco da mãe.
  4. O que acontece dentro do corpo da mãe também é percebido pelo bebê, a partir da 33ª semana. A respiração e o funcionamento do intestino e do estômago fazem parte da ambientação sonora do universo dentro do útero.
  5. Carinhos na barriga, toques, estímulos e balanços são percebidos pelos bebês a partir 20ª semana de vida dentro do útero.
  6. Quando a mãe está triste ou nervosa, ela libera hormônios que levam a alteração da frequência cardíaca e da pressão arterial. Esses hormônios também podem alterar os batimentos cardíacos do feto, mas não é possível saber que ele “sente” nesse momento.
  7. Assim como o estresse e o nervosismo, o bebê ainda pode sentir quando a mãe está feliz. Isso acontece por causa da liberação de hormônios como serotonina e endorfina, que também chegam ao útero. Só não é possível saber com exatidão como essa mensagem é percebida pelo feto.
  8. Um estudo da Universidade de Durham divulgou uma série de imagens de ultrassom de fetos de mães fumantes. Nas fotos, os bebês aparecem fazendo careta e até protegendo os olhos. A pesquisa mostrou que filho de mães tabagistas dentro do útero tocavam seus rostos com mais frequência do que os fetos de mães que não faziam uso do cigarro.

Fonte: Bolsa de Mulher

Faça um comentário