O tenor italiano Andrea Bocelli aporta em São Paulo em 2016. Haverá um show gratuito na Basílica de Nossa Senhora Aparecida, como parte das comemorações dos 300 anos do aparecimento da imagem da Santa.

Haverá um repertório especial com músicas sacras, orquestra, coral e convidados. O show será no dia 15 de outubro de 2016 e começará às 19 horas.

Ele também passa por São Paulo nos dias 12 e 13 e em Curitiba no dia 19 com apresentação única da turnê “Cinema World Tour”.

Clássicos do cinema mundial

O espetáculo contempla o repertório do último disco do tenor, “Cinema”, lançado em outubro para 75 países. Grandes clássicos do cinema de todos os tempos estão presentes. No repertório do disco, que compõe o set list do espetáculo na Arena da Baixada, não faltam grandes sucessos da telona.

“Cinema” celebra as maiores canções das telas de todos os tempos e reúne uma equipe de lendas musicais, incluindo David Foster, Humberto Gatica e Tony Renis, que trabalharam juntos no sucesso pioneiro de Bocelli, “Amore”.

Lançado mundialmente pela Sugar Music/Universal Music Group e Verve Music Group nos EUA, o álbum marca a primeira gravação de Bocelli em estúdio em dois anos. O trabalho apresenta uma coleção de canções de filmes gravados na cultura e corações de várias gerações, incluindo músicas-tema épicos como “Doutor Jivago”, “Love Story”, “O Poderoso Chefão”, “A vida é bela”, “Gladiador”, “Bonequinha de luxo”, além de canções populares de musicais de teatro imortalizadas por suas versões de filme, tais como “West Side Story” e “Evita”.

A majestosa voz de Bocelli, em parceria com fantásticos novos arranjos e tecnologias de estado da arte de gravação, traz nova vida a algumas das maiores obras-primas musicais para cinema de compositores que marcaram a história dos filmes e da música no século passado, de Leonard Bernstein ao lendário Ennio Morricone.

“Com o álbum ‘Cinema’ realizo um desejo que nutria por décadas. Nunca fiz segredo do meu sonho de realizar um projeto com músicas associadas a trilhas de filmes. Creio ser um tesouro artístico excepcional”, analisa Andrea Bocelli. O cinema sempre o fascinou, porque as partituras escritas para filmes são muito livres e potencialmente criativas. “É um vasto universo onde o compositor pode andar como quiser, seja qual for sua inspiração, onde se pode experimentar sem ter que submeter às normas da música clássica.”

Bocelli acredita que se os filmes são uma fábrica de sonhos, as músicas que os acompanham abraçam esses sonhos e aumentam a magia e vitalidade emocional. “Meu convite é para que esses clássicos imortais do cinema se fundam com as experiências, memórias mais preciosas, emoções de todos os ouvintes e se tornem uma trilha sonora inigualável para sua vida”, propõe o tenor.

Para a turnê brasileira, o tenor será acompanhado pela Orquestra Coro e do Estado de São Paulo Juventude. O talento dos jovens músicos brasileiros será conduzido por Eugene Kohn. Juntos, eles irão complementar a grandeza do espetáculo, com sucessos líricos de peças românticas dos álbuns de artista, como de Tosti, Liszt, Denza, Gastaldon e outros compositores.

 

Faça um comentário