Arquidiocese mineira terá sua primeira Basílica
Santuário do Senhor Bom Jesus do Livramento / Foto: Arquidiocese de Juiz de Fora

A Arquidiocese de Juiz de Fora (MG) anunciou que a Santa Sé acolheu ao pedido de seu Arcebispo, Dom Gil Antônio Moreira, e elevou o Santuário Arquidiocese do Senhor Bom Jesus do Livramento, na cidade de Liberdade, à categoria de Basílica Menor.

De acordo com a Arquidiocese mineira, Dom Gil Antônio recebeu no dia 4 de julho uma carta enviada pela Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos informando sobre a decisão.

“A concessão deste título a esta importante igreja, intensificando o vínculo particular com a Igreja de Roma e com o Santo Padre, é um incentivo a promover a sua exemplaridade como verdadeiro centro de ação litúrgica e pastoral na Diocese”, afirmou na missiva o secretário da Congregação, Arthur Roche.

Veja também:
De barman a sacerdote: “Deus é muito insistente!”
“Mexeram no que há de mais sagrado”, lamenta padre de paróquia profanada

Conforme ressalta a Arquidiocese em seu site, esta será a primeira Basílica Menor desta circunscrição eclesiástica. O templo receberá oficialmente o título no dia 14 de setembro, quando celebra a festa da Exaltação da Santa Cruz e o seu padroeiro.

“É um título que honra aquela igreja, a destaca como uma igreja modelar. Um título dado pelo Papa é sempre um símbolo da nossa fidelidade, do nosso amor filial, da nossa solidariedade com o sucessor de Pedro”, expressou Dom Gil Antônio, que levou este pedido até o Santo Padre no dia 19 de março deste ano.

A concessão do título de Basílica Menor leva em consideração as características arquitetônica, histórica e de devoção popular do templo religioso, além da importância para a vida litúrgica e pastoral.

No caso do Santuário do Senhor Bom Jesus, foi também importante a antiquíssima veneração à sagrada imagem do Bom Jesus do Livramento, única no Brasil.

Para o reitor do Santuário, Padre Ivair Carolino, a notícia da elevação do templo à categoria de Basílica Menor é “motivo de júbilo” para os moradores de Liberdade. “Para nós, será motivo de mais trabalho, no intuito de acolher melhor os romeiros e devotos que passam pelo Santuário ao longo do ano”, declarou.

De acordo com a última projeção feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município de Liberdade possui cerca de 5.300 habitantes. Todos os anos, a cidade acolher de 15 a 20 mil peregrinos no dia 14 de setembro.

Além disso, indica a Arquidiocese de Juiz de Fora, todos os meses, passam pela igreja cerca de 500 visitantes, atraídos pelas obras de arte atribuídas a José Joaquim da Natividade e pela imagem do Bom Jesus.

Agora, ao se preparar para receber o título de Basílica Menor, a igreja deverá passar por pequenas mudanças, para se adequar às normas litúrgicas e pastorais apontadas pelo Concílio Vaticano II e, mais recentemente, pelo Decreto Domus Ecclesiae.

O templo ainda receberá dois símbolos que caracterizam as basílicas menores: a umbela e o tintinábulo.

O Arcebispo Dom Gil explicou que a umbela é uma espécie de grande guarda-chuva com enfeites litúrgicos e representa “a proteção de Deus que a Igreja deve ser para os seus fiéis”; já o tintinábulo é um pequeno sino que atua “como a voz de Deus que chama o povo para a oração e para ouvir a Sua palavra”.

No mundo, há quatro Basílicas Maiores, que estão em Roma. São as de São Pedro, Santa Maria Maior, São Paulo Extramuros e São João de Latrão, conhecida como a Catedral do Papa.

Existem ainda as Basílicas Menores, templos que recebem este título por parte dos Papas devido à sua importância espiritual e histórica.

Fonte: ACI Digital

Faça um comentário