Capela móvel: um oásis espiritual para os habitantes de rua
Foto: Alejandro Arango

Juan Felipe Escobar é um sacerdote colombiano que desde 2005 serve aos habitantes de rua em Medellín. O seu silencioso trabalho solidário atualmente chega a mais pessoas com a “Barraca do Encontro”, uma capela móvel que funciona há pouco mais de um ano.

Há alguns meses, Pe. Escobar é pároco da paróquia Beato Federico Ozanam, no bairro Enciso. Toda terça-feira, ele sai com a sua capela móvel ao centro de Medellín para anunciar o Evangelho aos vendedores ambulantes, dependentes químicos, prostitutas, indigentes e indígenas deslocados.

“A ideia surgiu porque comecei a trocar as armas brancas que eles tinham por um prato de comida ou roupa. Alguns voluntários me disseram que era muito arriscado fazer isso e então comecei a procurar um veículo para fazer esta troca. Logo depois, surgiu a ideia de fazer uma capela, mas isso era muito caro”, contou o sacerdote ao Grupo ACI.

Em 2012, desistiu da ideia, mas em 2016 “uma voluntária me disse que tinha um sobrinho que era arquiteto. Ele e o seu sócio me ajudaram a realizar o projeto”, explicou Pe. Escobar.

Veja também:
Estas são as celebrações que o Papa Francisco presidirá no Natal
Conheça as 10 histórias populares sobre a Virgem de Guadalupe

O sacerdote conta com a ajuda de cerca de 30 voluntários, entre fiéis de diferentes paróquias e seminaristas, com os quais distribui dois mil pães e chocolate quente a aproximadamente 500 pessoas por semana.

“Nós nos aproximamos das pessoas através do canto e da música, realizamos a exposição do Santíssimo, lemos o Evangelho do domingo seguinte e fazemos uma breve reflexão. Depois, cantamos, rezamos algumas ladainhas ao Santíssimo e dou a bênção com a Eucaristia”, sublinhou.

Depois deste momento espiritual, “distribuímos chocolate quente e pão”. “O nosso objetivo espiritual é o encontro com Jesus. Ouvi-los, chamá-los pelo seu nome, abraçá-los, incentivá-los a sair da rua, que procurem centros de reabilitação, ajuda”, disse o sacerdote ao Grupo ACI.

Pe. Escobar, que também foi formador no Seminário Maior de Medellín entre 2010 e 2018, disse que no final das contas “os voluntários que participam e eu somos evangelizados pelos moradores de rua, eles nos evangelizam. Eles também rezam quando pegam o microfone, rezam com o que têm no fundo do coração”.

A Barraca do Encontro passa por cinco lugares da cidade: Miquitao alta e baixa, em uma região conhecida como a 40, na estação de metrô Prado Centro e na avenida León de Greiff. Este último lugar é conhecido pelo crime e o sacerdote oferece comida ou roupas em troca das armas brancas que carregam.

Pe. Escobar disse que a “Barraca do Encontro” está em harmonia “com o que disse o Papa Francisco de uma Igreja em saída, de sair ao encontro das pessoas. Então nós temos esta capela com rodas”.

As pessoas de rua “acreditam muito em Deus. Apesar do sofrimento, quase todo mundo acredita em Deus. Eles nos dizem ‘que Deus te pague’, ‘que Deus te abençoe’. Vemos que o amor de Deus está presente”, afirmou.

Os moradores de rua a quem ele serve, concluiu, também “aproveitam o momento da reflexão. Não importa o credo de cada pessoa. Ninguém é excluído quando ajudamos”.

Prêmio na Bienal de Arquitetura e Urbanismo

A capela móvel é um projeto dos arquitetos Tomás Vega Trujillo e Camilo Ramírez Gallego, que contaram com a colaboração da empresa ‘Obras y Montajes’.

Segundo informa o site da Universidade Pontifícia Bolivariana (UPB) de Medellín, o projeto da Faculdade de Arquitetura ganhou o primeiro lugar na categoria de arquitetura efêmera e design de interiores na Bienal Colombiana de Arquitetura e Urbanismo.

Com este projeto, disse Camilo Ramírez, muda-se “a equação e não se espera que as pessoas cheguem, mas que a Igreja chegue às pessoas. Basicamente, esse é o propósito do projeto”.

Ao entregar o projeto “começou um processo muito interessante, no qual fazíamos parte de toda a gestão, e estávamos muito interessados ​​e envolvidos desde o princípio. Passamos a entender que a relação com o sacerdote não era apenas como de clientes e arquitetos, mas nos vinculamos para tornar este projeto realidade”, disse Tomás Vega.

Fonte: ACI Digital

Faça um comentário