A ceia de Natal está mais salgada para as famílias brasileiras. Um estudo feito pelo economista André Braz, do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), mostra que 10 dos itens mais consumidos na ceia de Natal estão mais caros este ano. A média de aumento nos preços é de 6,77% em relação a dezembro do ano passado. O valor ficou acima da inflação, que subiu 6,44% no mesmo período.

Se em 2015 uma família gastava R$ 271,07 para garantir a refeição durante o Natal, neste ano o valor subiu para R$ 289,43. O maior aumento foi registrado no preço das frutas cristalizadas, que teve reajuste de 13,84%, seguido do tender (10,32%) e das nozes (10,24%).

A menor subida de preço foi a do peru, com média de 6,88%. No entanto, nem todas as notícias são ruins: alguns produtos ficaram mais baratos de um ano para o outro. É o caso do pernil, que diminuiu 2,12%; e do bacalhau, que teve redução de 0,45%.

Para economizar em face dos preços mais altos, o economista André Braz aconselha as famílias a trocarem as marcas líderes, que costumam ser mais caras, por produtos menos conhecidos. Ainda de acordo com Braz, a antecedência na hora das compras pode diminuir o peso no bolso.

“Aqueles produtos que são mais bem dimensionados para uma família média e pequena, como uma ave, por exemplo, acabam primeiro. Os que deixam a compra para depois podem gastar mais porque adquirem um produto maior do que suas necessidades, o que o torna mais caro”, explica o economista.


Confira abaixo o índice de aumento de dez dos produtos mais consumidos no Natal:

http://uploads.metropoles.com/wp-content/uploads/2016/12/20180339/ceia-de-natal.jpg

Fonte: Metrópoles
Compartilhe:

Faça um comentário