Luis Herbst morte

Faleceu aos 92 anos o bispo emérito de Cruzeiro do Sul (AC), dom Luís Herbst. Acometido por uma forte gripe na última semana de dezembro, foi diagnosticado com princípio de pneumonia. A morte foi confirmada no dia 31 de dezembro, às 12h45, na residência anexa à casa das irmãs Franciscanas, localizada no Centro de Retiros, onde funcionava o antigo Seminário Menor. De acordo com o bispo de Cruzeiro do Sul, dom Mosé João Pontelo, dom Luís já sofria de Alzheimer e também com pressão alta.

O corpo foi velado na capela do Centro de Retiros entre o dia 31 de dezembro e a manhã de 1º de janeiro. Foi oferecido pelo governo do estado um caminhão do Corpo de Bombeiros, que conduziu em carreata o corpo de dom Luís até a catedral Nossa Senhora da Glória, onde foi sepultado após a celebração das exéquias presidida por dom Mosé e concelebrada por 12 padres da diocese.

Leia também:
Morre no Rio de Janeiro, aos 84 anos, Dom Rafael Llano Cifuentes
Setor de Música Litúrgica realiza encontro anual de compositores e letristas da CNBB

Trajetória

Dom Luís Herbst nasceu em Bardenberg, na Alemanha, em 23 de novembro de 1925. Religioso da Congregação do Espírito Santo, chegou ao Brasil na década de 1950, quando foi vigário cooperador, entre 1953 e 1964, e pároco, de 1964 a 1967, em Vila Porto Valter (AC). Em seguida, foi vigário geral de Cruzeiro do Sul, até 1979, quando foi nomeado bispo coadjutor da então Igreja particular de Juruá (AM), serviço desempenhado até 1988. Naquele ano, tornou-se o quarto bispo de Cruzeiro do Sul (AC), governando a diocese até 2001.

Filho adotivo do Juruá

Texto do irmão marista João Gutemberg destaca as áreas da saúde, comunicação, educação e evangelização como algumas das quais dom Luís empreendeu seu tempo, recursos, influências locais e internacionais, “praticando a solidariedade universal”.

Na homenagem, o religioso destaca iniciativas e obras creditadas ao bispo como os Vicentinos, o Leprosário (Dermatológico), o Educandário, as muitas escolas, os Seminários, os meios de Comunicação Social, os centros comunitários e pastorais: “Pois tudo isso faz um todo harmônico e integral que promove o bem social, fazendo o bem, sem olhar a quem!”

De alemão originário, dom Luís tornou-se um amazônida, escreveu Gutemberg, “navegando por nossos rios e igarapés, falando nossa linguagem, testemunhando trabalho, alegria e simplicidade! Isso enriquece nossos dias!”. Para o religioso, o bispo foi um filho adotivo do Juruá.

A região do Juruá é marcada pela presença dos missionários espiritanos, como são conhecidos os religiosos da Congregação do Espírito Santo. Ali, estão desde 1895, quando iniciaram as atividades missionárias. Em 1932, foi ordenado o primeiro bispo, o alemão dom Henrique Ritter. Naquela Igreja Particular, todos os bispos até os dias de hoje são da Congregação: após dom Henrique, assumiram o pastoreio dom José Hascher (1947 a 1967); dom Henrique Rüth, que foi o primeiro bispo da eregida diocese (1967-1988); dom Luís Herbst (1988-2001); e o atual, dom Mosé João Pontelo.

Nota de pesar

Dom Leonardo Steiner, secretário-geral da CNBB, assina Nota de Condolências.

Leia a Nota.

Nota de condolências da CNBB pelo falecimento de dom Luís Herbst

Brasília, 03 de janeiro de 2018

Prezado Irmão, dom Mosé João Pontelo.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) manifesta seu pesar pelo falecimento do bispo emérito da diocese de Cruzeiro do Sul (AC), dom Luís Herbst, ocorrido no domingo, 31 de dezembro de 2017.

O testemunho que é dado pelos amigos e conhecidos mostram que esse nosso irmão realizou uma trajetória de grande amor pelos pobres e dedicação ao ministério confiado pela Igreja. Assumimos, como nossas, as palavras que o senhor pronunciou diante da comunidade na missa de corpo presente: “na sua vida humana, dom Luís foi como o grão de trigo que caiu na terra, morreu e floresceu desde muito tempo quando ele iniciou sua pregação do Evangelho e veio para o Brasil. Sua vida foi uma dedicação constante e seu grão e trigo produziu muitos frutos e deu exemplo de doação de sua vida pelas pessoas a quem foi enviado como guia e animador do coração da Igreja Católica no vale do Juruá”.

Enviamos nossa saudação fraterna ao senhor, aos familiares de dom Luís Herbst, e a todas as comunidades da diocese de Cruzeiro do Sul.

Em Cristo,

Leonardo Ulrich Steiner

Bispo Auxiliar de Brasília

Secretário-Geral da CNBB

Fonte: CNBB

Faça um comentário