Uma matéria da CNN, canal de notícias norte-americano, fala a respeito do estilo de vida de alguns líderes católicos americanos em comparação ao exemplo atual do Papa Francisco.

[social title=”” subtitle=”” link=”http://www.facebook.com/catholicusweb” icon=”fa-facebook”][social title=”” subtitle=”” link=”http://twitter.com/catholicusweb” icon=”fa-twitter”]

 

Francisco uma vez declarou “quebra o meu coração  ver padres e freiras dirigindo carros do ano”. E criticou os “bispos aeroporto” que passam mais tempo viajando, do que cuidando de seus rebanhos. Em um de seus livros declarou: “Deus nos salve de uma igreja mundana com armadilhas espirituais e pastorais superficiais!”

A imagem a seguir mostra a residência de Pontífices anteriores, o Palácio Apostólico do Vaticano.

 

Eric Vandeville / GAMMA

 

E esta mostra a pequena suíte de Jorge Bergoglio,  na casa de hóspedes do Vaticano. 

 

2
L’Osservatore Romano / AP

 

Os arcebispos americanos estão seguindo o exemplo do Papa Francisco?

A investigação da CNN revelou que pelo menos 10 dos 34 arcebispos ativos nos Estados Unidos vivem em edifícios no valor de mais de $ 1 milhão, de acordo com a Igreja e registros do governo.

Sem contar outros bispos católicos ativos, de cidades menores.

Entre eles, o arcebispo e cardeal Timothy Dolan, de Nova York lidera o grupo com esta mansão de 15.000 metros quadrados, na Madison Avenue, em um dos corredores mais caros de Manhattan.

 

3
Do Google

 

Alguns especialistas dizem que este prédio vale pelo menos,  30.000 mil dólares americanos .

 

4
Charles Bennett / AP

 

O cardeal Francis George de Chicago, vive nesta mansão que tem 19 chaminés e vale pelo menos $14300000. Seu quarto privado ocupa os dois andares superiores da mansão, e, de acordo com a arquidiocese, compartilha a residência com dois bispos e um padre.

Representantes de cardeais Dolan e George apontam que suas mansões foram construídas mais de 100 anos atrás, e são usados ??como escritórios e para hospedagem de convidados e captação de recursos, bem como residências. Eles também dizem que as mansões são marcos históricos e não podem ser facilmente vendidos ou convertidos para outros usos.

“Não há nenhuma razão pela qual um bispo precise viver como um príncipe ou monarca medieval, mesmo tendo herdado o lugar de seu antecessor”, disse o Rev. Steven Avella, um padre católico e professor de história religiosa da Universidade de Marquette. “Eles deveriam converter as mansões em museus e passa-las para reitorias”.

James Sartain, Arcebispo de Seattle, vive sozinho nesta casa de três andares. O valor avaliado é de $3840 mil dólares.


5
Do Google

 

Leonard Blair Arcebispo de Hartford, Connecticut, vive em uma mansão de 9.000 metros quadrados, que foi avaliada em $1850 mil dólares, de acordo com registros do governo.

 

6
Do Google

 

Thomas Wenski Arcebispo de Miami vive em uma casa com seis suítes com piscina, compartilhada com um sacerdote e uma secretária.  O valor estimado é de $1380 mil dólares americanos.

 

7
Do Google

 

Nesta casa, que foi destaque num artigo da CNN sobre os “Palácios de St. Louis,” reside o arcebispo de St. Louis, Robert Carlson. Ela possui 11.000 metros quadrados, e vale 1,4 milhão dólares.

 

8
Do Google

 

A Residência do arcebispo William Lori, em Baltimore tem 11.500 metros quadrados. É compartilhada com seu sacerdote-secretário e o reitor da Basílica de Baltimore e vale cerca de $1240 mil dólares .

 

9
Do Google

 

Arcebispo Gustavo Garcia-Siller de San Antonio, vive nesta residência de 5.000 metros quadrados, que inclui um pátio, uma capela privada, uma lareira e um bar  molhado. A residência foi construída pelo antecessor de Garcia-Siller em 2009 por $1,1 milhão dólares.

 

10
Jerry Lara / San Antonio Express-News

 

Dennis Schnurr, arcebispo de Cincinnati, reside em uma casa de quatro suítes em Hamilton County, Ohio. A arquidiocese comprou esta casa para Schnurr em 2009 por $469.718 dólares, o que causou reclamações realizadas pelos católicos locais.

 

11
Do Google

 

Em resposta à pergunta da CNN, sobre as residências dos arcebispos, os representantes da Igreja declararam que elas são utilizadas como alojamentos. Além disso são escritórios de captação de recursos e acolhem funcionários da igreja, além de bispos.

É o caso, por exemplo, da mansão de Dolan, ligado à Catedral de S. Patrick, disse Joseph Zwilling, porta-voz da Arquidiocese de Nova York. Além disso, fazem parte do Registro Nacional de Lugares Históricos, o que significa que não podem ser facilmente vendidas ou convertidas para outros usos, disse ele.

“Mesmo que, em seu mais absurdo pensamento, você imagine um cenário em que a arquidiocese deseje vende-la, não poderia, uma vez que o edifício é um marco histórico e precisa permanecer como está”, disse Zwilling.

O arcebispo Dolan reconhece como o Papa o exemplo de Francisco que levou-o a questionar “as vantagens que associamos de ser um bispo.”

“Encontro-me examindo minha própria consciência … no estilo, na simplicidade, em muitas coisas”, disse à National Catholic Reporter ano passado. “Eu também me pego pensando sobre estilos de vida, porque é uma casa muito boa que eu estou vivendo!”

 

12
Matt Rainey / The New York Times

 

No entanto, nem todos os bispos vivem como príncipes:

O cardeal Sean O’Malley, de Boston, reside em uma casa paroquial  em South End.

Alexander Amostra, arcebispo de Portland, Oregon , compartilha parte de um antigo convento com sua mãe idosa.

o arcebispo Charles Chaput, de Filadélfia morava em uma residência vendida pela Igreja por 10000000 dólares e se mudou para a cidade em 2011.

“Ele sentiu que não era realmente necessário viver em uma residência tão grande”, disse Ken Gavin, um porta-voz da Arquidiocese de Filadélfia. “Ele queria viver de forma mais simples.”

Com a iniciativa de Papa Francisco, mais arcebispos podem estar fazendo o mesmo.

Depois de uma briga com católicos, o Arcebispo de Atlanta, Wilton Gregory, concordou em desistir de uma mansão de 2,2 milhão de dólares.

Aqui está a casa de 6000 m², que fica no bairro de luxo Buckhead.

 

13
David Goldman / AP

 

Gregory pediu desculpas pela construção da mansão, chamando o fato de um lapso de julgamento e fora de sintonia com o seu chefe, o Papa.

“O que nós não paramos para considerar”, disse Gregory, “era que o mundo e a Igreja mudaram.”

 

Informações: CNN

Faça um comentário