Como cativar novas lideranças para fortalecer a missão na pastoral da catequese

Eis um tema crucial para nós catequistas e agentes de pastoral: a falta de tempo. É ele que nos faz correr dia-a-dia, diz-nos as atividades que temos que cumprir e sempre, ao final, mostra-se insuficiente.

Conheça o CONAGE – Congresso Nacional de Gestão Eclesial

Temos escutado muito dos nossos paroquianos: “infelizmente não tenho tempo para assumir uma turma de Catequese” “Desculpe, no momento to muito atarefado e não posso te ajudar na Crisma” “Padre, estou estudando muito e não tenho como ajudar no grupo jovem” “Não posso me responsabilizar ou assumir agora, pois me falta tempo” “…ano que vem com certeza vai dar” “Tenho certeza que fulano poderá te ajudar, pois eu não posso agora!” E por aí vai… E muitos cristãos se transformaram em verdadeiros Pescadores de Aquários, como diz o bispo Dom Rafael Llano Cifuentes.

Sempre escutamos essa desculpa dos jovens, de casais, enfim, de pessoas que poderiam ajudar e muito no desenvolvimento das atividades pastorais e paroquiais, todavia, sempre colocam o “tempo” como obstáculo. Assim, as comunidades vêm carecendo de novas lideranças. Madre Tereza de Calcutá, sobre esse assunto, costumava dizer: “Ter tempo é uma silenciosa declaração de amor”. Ela realmente soube doar todo o seu tempo em prol do próximo, colocando o Evangelho em prática. Esqueceu de si em prol dos pobres e doentes.

Leia também:
5 tipos diferentes de cruz e seus significados
Meus filhos acham que não precisam ir à igreja porque o pai deles não vai. O que eu faço?

O que fazer?

Inicialmente, desde a catequese, é necessário mostrar às crianças que sempre poderemos nos dedicar a nossa Fé. E se tivermos organização e muita perseverança, nunca nos afastaremos das atividades religiosas. Entretanto, o que temos visto é que os jovens vêm utilizando desculpas como: faculdade, vestibular, cursos, namoros, trabalho…, e não assumem um compromisso na comunidade. Muitas vezes isso ocorre, pois ele não vê espaços para atuar ou não se sente acolhido, ou talvez, ele ache que não é importante. É necessário mostrar a ele a sua importância para a Igreja.

Os casais alegam também vários empecilhos, mas se esquecem que um dos alicerces do matrimônio também é a Igreja, a qual ajuda a fortalecer a união dos dois.

Siga estas sugestões para formar novas lideranças:

  1. Faça seminários para os catequistas e mostre que eles precisam preparar as crianças também para essa realidade;
  2. Tente incentivar os jovens da comunidade, organizando reuniões, retiros, ou criando eventos que os insira;
  3. Mostre aos casais e demais membros da comunidade a necessidade de existir novas lideranças e que o tempo é algo que nós controlamos e não ele que nos controla.

O sacerdote também pode, em suas homilias, tratar desse assunto, mostrando a todos os membros da comunidade paroquial que eles não devem deixar a vivência religiosa em comunidade e saber reservar um espaço em suas vidas para Deus e para a Igreja.
Mostrar à comunidade que um líder não nasce, faz-se! Ele se forma com tempo e experiência pastoral. Logo, ele é fundamental para o bom andamento das atividades importantes da paróquia.

Instigue essa pergunta: “Temos barcos e redes. Faltam pescadores. Que tal você?”
O verdadeiro cristão é aquele que professa a sua fé onde quer que esteja! Eu preciso ser exemplo (“Sal da terra e luz do mundo”) perante minha família, no colégio, faculdade, no meu trabalho, meu ministério, minha Igreja…, em todo o lugar e a toda a hora!!! Não se esqueça disso: sozinhos, não somos nada; mas juntos, vencemos distâncias!
O tempo urge! Mãos à obra!

Juberto Santos é Historiador e Professor de História, pela UFRJ. Atua como Catequista na Paróquia Nossa Senhora d’Ajuda, no Rio de Janeiro. É Ministro de Música, animador de retiros e vivências. É autor de “Como preparar um Retiro”, publicado pela Editora Vozes.

Fonte: Revista Paróquias, ed. 21. Para ler mais matérias sobre liderança e catequese, assine já: (12) 3311-0665,  (12) 99660-1989 ou [email protected]

Compartilhe:

Faça um comentário