Reunião da equipe paroquial em preparação para implantar o dízimo.

Seguem alguns passos para auxiliar a implantação do dízimo em sua paróquia:

1) Antes da reflexão de conscientização nas missas, pelo agente diocesano da pastoral do dízimo, é absolutamente necessária a realização da reunião de conscientização com os agentes paroquiais.

2) Verificar se para cada missa existem pelo menos 4 agentes da pastoral na paróquia.

3) Verificar o grau de aprovação e envolvimento do padre com a equipe.

4) Procurar avaliar o comprometimento dos membros da equipe paroquial com o sistema do dízimo: conhecem, aprovam, são dizimistas,tem testemunho sobre o dízimo em suas vidas?

5) Informar que o trabalho de implantação (ou reimplantação) é da equipe local e não dos agentes da equipe diocesana.

Conheça o CONADIZ – Congresso Nacional da Pastoral do Dízimo e da Partilha 

6) Os agentes da Pastoral do Dízimo devem priorizar esse trabalho, se tiverem outras prioridades pastorais, é melhor optarem por elas e deixarem oportunidade para outras pessoas atuarem no dízimo.

7) Sobrecarregar-se de tarefas é prejudicar-se a si mesmo, à própria família e à Igreja que não poderá ser bem servida por quem sempre está cansado e desgastado pelas tarefas e reuniões.

8) Reuniões dos agentes paroquiais da pastoral do dízimo:

– se já forem regulares – procurar conhecer a forma de reuniões utilizada
– se ainda não são regulares – orientar para a necessidade de acontecerem no mínimo a cada mes e por ocasião da implantação devem ser semanais ou quinzenais, até o segundo mes, pelo menos.
– a reunião deverá levar os agentes a um conhecimento maior uns dos outros e um crescimento no testemunho de amor entre eles.
– deverá sempre dedicar a metade do seu tempo para as orações e a formação. E a oração não deverá apenas ser o Sinal da Cruz e um Pai-Nosso e uma Ave-Maria. Gastar tempo com a oração é buscar a intimidade e comunhão com Deus. Sem isso o trabalho poderá ser excelente do ponto de vista das técnicas, mas não terá espiritualidade. Isso conduziria infalivelmente para o fracasso pastoral.
– a outra metade do tempo da reunião, deverá tratar de buscar as formas de conscientização dos fiéis, da organização da pastoral, do acompanhamento da evolução do dízimo e da participação dos dizimistas na comunidade, de preparar as celebrações, de procurar sugestões de melhorias para o desempenho pastoral, etc.

9) POR QUE IMPLANTAR O DÍZIMO?
O sucesso do dízimo depende de o mesmo ser uma opção consciente da comunidade. Não adianta se ele for apenas mais um mecanismo de arrecadação competindo com festas, bingos, rifas, eventos, etc.

10) O QUE É O DÍZIMO?
É uma forma madura de participação na vida da comunidade, através da contribuição à Igreja com uma parcela dos ganhos que o fiel recebe mensalmente e que visa dar suporte à Evangelização, ao sustento dos ministros, à manutenção do templo e a assistência aos necessitados (citados como os estrangeiros, órfãos e viúvas no Antigo Testamento). Como é de instituição divina, o seu cumprimento significa uma resposta positiva à proposta de Deus.

Fonte: Dízimo Católico

Compartilhe:

Faça um comentário