A relação do padre com a Igreja também é uma espécie de matrimônio

Engana-se quem imagina que um sacerdote não possa falar sobre a experiência do casamento por ser celibatário. Embora esteja claro que o sacerdote não está disponível para desposar-se, é importante compreender que sua relação com a Igreja também é uma espécie de matrimônio.

 

 

Basta analisarmos as atribuições do ministério sacerdotal e encontraremos muitas semelhanças com as que são enfrentadas nas relações matrimoniais: o sacerdote gera filhos em seu batistério, precisa ouvir e acolher a todos, compreendendo suas particularidades; cabe a ele também educar e perdoar.

O Padre está sujeito à rotina e às tentações que tentam desviá-lo de sua missão. Ele precisa sempre manter a chama de seu amor pela Igreja e reafirmar constantemente sua fidelidade, porque a rotina e o tédio são demônios sempre à espreita.

 

Maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou a igreja e entregou por ela, para santificá-la, purificando-a pela água do batismo com a palavra
(EF 5, 25-26)

 

Padres compreendem o matrimônio e podem aconselhar os casais porque estão muito conectados com as questões do amor, da dedicação e da fidelidade, que são absolutamente fundamentais para manter um relacionamento saudável e abençoado. Desta forma, seus conselhos sempre serão muito bem vindos e podem contribuir para auxiliar aqueles que em algum momento estão em dificuldades, mas perseveram na luta por sua família e seu lar.

 

O amor de Cristo pode restituir aos esposos a alegria de caminharem juntos. Pois o matrimônio é isso: o caminho conjunto de um homem e de uma mulher, no qual o homem tem o dever de ajudar a esposa a ser mais mulher, e a mulher tem o dever de ajudar o marido a ser mais homem. Este é o dever que tendes entre vós.
Papa Francisco

 

O casamento não é um caminho suave e repleto de flores, muitas vezes serão encontradas pedras nessa trilha, existirão conflitos e dificuldades, mas Deus sempre estará auxiliando a caminhada, basta acreditar.

 

 

Por: Lu Bacheschi – O Mensageiro

Compartilhe:

Faça um comentário