Ultimamente tenho tido uma preocupação com o jeito que as pessoas comungam, eu não sei como você aprendeu na catequese, é direito do fiel comungar de joelho? É direito do fiel, comungar de joelho, na boca, e na mão, mas as vezes a pessoa vai comungar na mão, e parece que a pessoa esta pegando uma coisa, com uma pinça, você não esta pegando qualquer coisa não, e se cair uma pedaço da eucaristia? Será que não sabemos que precisamos cuidar mais daquilo que mais temos de precioso?

Como você tem comungado? Precisa de respeito, amor, dedicação para o nosso amado, e as vezes o senhor não fez ainda na nossa vida, por que levamos nossa fé de qualquer jeito, comungamos de qualquer jeito. Mas teve uma pessoa, tantos santos, mas a história de Santa Faustina, uma experiência que ela conta, em seu diário, no devocionário da misericórdia volume II, uma experiência dela que ela conta com a eucaristia com Jesus eucarístico, ela disse que ela foi atraída, aos sete anos de idade e ela diz assim ‘’ a santa eucaristia é o sustentáculo para a vida humana, tantos nos momentos felizes como nos momentos mais atrozes era a presença de jesus sacramentado que trazia paz a vida de santa faustina’’

Quando você entra na igreja, você tem a preocupação de ir diante do sacrário e fazer sua adoração, pelo menos dois minutos? Uma vez eu estava em uma igreja quando jovem, antes de vir pra Canção Nova, eu ficava um pouco preocupado as vezes as pessoas entravam na igreja, correndo, passava na frente do santíssimo, nem sequer fazia o ‘’em nome do pai’’ e ascendia a vela para o santo de devoção e ia embora, não tem problema ter seu santo de devoção, mas e Deus? O que estou fazendo para Deus? Preciso entender que Deus está ali no sacrário.

Autor: Pe. João Marcos Polak
Fonte: Canção Nova

Compartilhe:

Faça um comentário