A igrejas mais bonitas do Portugal
Capela do Senhor da Pedra. Fotografia de InfinitaHighway (organização) infinitahighway.com.br

A esmagadora maioria da população de Portugal considera-se católica. Por isso, o número de igrejas espalhadas pelo território português é enorme. Algumas são consideradas verdadeiras relíquias dos nossos antepassados, sendo assim possível recuar no tempo para visualizar as mais belas.

A Capela de São Miguel, situada na freguesia de Sé Nova, cidade e concelho de Coimbra, foi construída entre os séculos XVI e XVIII. É propriedade do complexo arquitetônico que inclui o núcleo histórico da Universidade de Coimbra e foi classificada em 2013 como Patrimônio Mundial da Unesco.

Veja também:
Congresso Internacional de Turismo Religioso e Peregrinação
Santuário de Aparecida inaugurou Natal Iluminado neste sábado

Capela de São Miguel – Foto de Delfim Ferreira

Os azulejos que revestem o interior da igreja, remontam para o estilo manuelino e julga-se terem sido fabricados na cidade de Lisboa.

A Igreja de Santa Engrácia localizada na grande Lisboa, é uma das referências nacionais. Conhecida também pelo nome de Panteão Nacional, o enorme chão de mármore dá destaque a esta igreja.

Com estilos muito barrocos, o objectivo da basílica é homenagear os cidadãos portugueses que se distinguiram no país devido à importância que tiveram enquanto vivos.

 

Com estilos muito barrocos, o objectivo da basílica é homenagear os cidadãos portugueses que se distinguiram no país devido à importância que tiveram enquanto vivos.

Igreja de Santa Engrácia – Fotografia de Celestino Manuel

O Santo Ildefonso de Toledo tem uma igreja edificada na cidade do Porto. Na Praça da Batalha, no século XVIII, reconstruíram uma antiga igreja que estava em ruínas e que hoje originou um dos pontos turísticos obrigatórios na segunda capital portuguesa.

Igreja de Santo Ildefonso –Fotografia de Vítor Oliveira

Em Ovar, na freguesia de Válega, encontra-se a Igreja Paroquial de Válega. Uma grande memória que relembra os séculos XV a XVIII. Construída sobre os azulejos da famosa Fábrica Lusitânia, de Jorge Colaço, os grandes painéis dão cor tanto à fachada, como ao interior do monumento.

Igreja Paroquial de Válega – Foto por Wikipédia
Capela dos Ossos, Évora

A Capela dos Ossos que se situa na Igreja de São Francisco, no concelho e distrito de Évora, é um dos lugares que atraí milhares de turistas todos os anos. Por questões espirituais e físicas, construiu-se aquela capela com inúmeros ossos de pessoas mortas.

Ainda em Évora, a Igreja dos Lóios, foi edificada em estilo manuelino. Mandada construir pelo primeiro Conde de Olivença, D. Rodrigo Afonso de Melo, para servir de Panteão à família Melo.

No interior, é possível ver as paredes revestidas por muitos painéis de azulejos datados do século XVIII.

Na cidade de Lisboa estão duas igrejas que fazem parte da categoria das mais lindas de Portugal.

A primeira, Igreja de São Roque, está classificada como Monumento Nacional e foi construída no século XVI. Com diversos objetos no seu interior de origem italiana, o estilo que predomina o edifício é o barroco.

Igreja dos Lóios – Fotografia de Joe Price

A segunda, a Igreja de São Domingos, é do século XIII e foi construída por ordem do rei D. Sancho II. Este segundo templo sofreu dois terramotos em Lisboa, sendo o mais drástico o de 1755 e foi reconstruída várias vezes.

No século XII o Sancho I de Portugal legou os bens a D. Maria Pais Ribeiro e, desde essa altura, os seus filhos assumiram a Igreja Matriz de Santa Marinha de oortegaça, como bem a herdar.

Igreja Matriz de Santa Marinha de Cortegaça – Fotografia de Jorge Bastos

Aqui estão presentes vários alterares de figuras célebres tanto na época, como na religião. A fachada do templo está revestida com azulejos do século XX.

Edificada sobre um rochedo numa praia de Vila Nova de Gaia, as histórias desta igreja são apenas lendas. Acredita-se num antigo culto pagão, que originou a construção da mesma. A partir daí, povos pré-cristãos converteram-se ao cristianismo e começaram a surgir as tradições. Nomeadamente a romaria ao Senhor da Pedra que se realiza anualmente em Gaia.

Capela do Senhor da Pedra. Fotografia de InfinitaHighway (organização) infinitahighway.com.br

O Santo São Martinho de Soalhães teve relíquias em uma basílica que remontam para o século IX. No entanto, existem dados concretos que apontam para o século XIII, quando a Igreja passou à condição secular, completando, assim, o processo de formação da paróquia.

Igreja de São Martinho de Soalhães – Fotografia do site Rota do Romântico

Apesar do cargo histórico que obteve na Idade Média, o edifício da Igreja de Soalhães demonstra poucos vestígios desses tempos, tendo sido muito modificada em épocas posteriores.

Fonte: Descla.pt
Autor: Edilson Coutinho

Faça um comentário