São Bento usava com freqüência o sinal da cruz. Utilizava como forma de proteção, salvação e afirmação da vida e obra de Jesus. Fato é o episódio em que o cálice envenenado quebra-se ao ser feito o sinal da cruz sobre ele. O sinal da cruz era recomendado por ele a todos que estivessem passando por alguma aflição ou tentação maligna. Uma cruz era o selo dos monges na carta de sua profissão quando não sabiam escrever.

No século XVII, em Nattenberg, na Baviera, algumas mulheres acusadas de bruxaria afirmaram não ter conseguido sucesso em atingir o mosteiro beneditino de Metten. Ao ser investigado o fato, constatou-se que em seu interior estavam marcadas as paredes com diversas cruzes com algumas siglas misteriosas. Após alguns anos e mais pesquisas em bibliotecas e somente no século XX o mistério foi desvendado.

 

Siglas na medalha

Frente: Eius in obitu nostro presentia muniamur.“Que a hora de nossa morte, nos proteja Tua presença”.

Reverso: 

Em cada um dos quatro lados da cruz: C. S. P. B. Crux Sancti Patris Benedicti. Cruz do Santo Pai Bento

Na vertical da cruz: C. S. S. M. L. Crux Sacra Sit Mihi LuxQue a Santa Cruz seja minha luz

Na horizontal da cruz: N. D. S. M. D. Non Draco Sit Mihi DuxQue o demônio não seja o meu guia

Começando pela parte superior, no sentido do relógio:

V. R. S. Vade Retro SatanaAfasta-te Satanás

N. S. M. V. Nunquam Suade Mihi Vana. Não me aconselhes coisas vãs

S. M. Q. L. Sunt Mala Quae Libas. É mau o que me ofereces

I. V. B. Ipse Venena Bibas. Bebe tu mesmo teu veneno

E a palavra PAX (PAZ) 

Compartilhe:

Faça um comentário