Conscientização: como agir de forma cristã em meio à pandemia de coronavírus | Imagem: Reprodução

Informar de maneira consciente, olhar para o próximo e tomar os devidos cuidados também é uma forma de ser cristão em épocas difíceis

O mundo entrou em pânico. O número de vítimas que o surto de coronavírus tem deixado está crescendo e causando grande preocupação no mundo inteiro. Mas em meio a toda essa turbulência, como agir de forma cristã?

Um grande diferencial da doença, que piora o quadro de contaminação, é o fato de que uma pessoa pode portar o COVID-19 sem apresentar sintomas, podendo ser transmissor para uma pessoa que apresente mais riscos, como idosos e crianças. A palavra-chave, portanto, do que se deve fazer acima de tudo, é pensar no próximo.

Leia mais:
Oração para pedir a cura de uma doença

Confira a seguir algumas dicas como colocar esse comportamento em prática:

Manter a calma e o respeito ao próximo

Certamente o egoísmo não é um comportamento cristão. Mas mesmo assim, discursos de ódio acerca do assunto é algo frequente nas redes sociais, comprar álcool gel nas farmácias está gerando brigas e pessoas não estão cuidando de si mesmas, sem pensar que podem transmitir a doença para alguém. Logo, é importante que não seja disseminado esse tipo de comportamento.

Informação consciente

O meio mais influenciador de opinião pública é a mídia. Seu bombardeamento de notícias acerca da pandemia, mesmo que necessário, tem agravado o horror do público. Como cristãos, é nossa obrigação cuidarmos para que Fake News ou notícias especulativas não sejam compartilhadas por nós, filtrando o que recebemos e investindo em uma conscientização que não agrave o pânico, mas que mobilize a solidariedade e a empatia entre as pessoas.

Leia mais:
Papa reza perante o Crucifixo que salvou Roma da peste negra

Olhar para os mais necessitados

Por falar em empatia, não devemos esvaziar mercados, até então em alguns lugares está faltando alimento pelo fato das pessoas comprarem em uma quantidade desenfreada para estocar em casa. Mas, o que muitos não pensam é que comprar grandes quantidades depende da situação financeira da pessoa. Dessa forma, quem não possui condições de comprar muita comida, ou precisa esperar certo dia do mês, é prejudicado, podendo passar fome depois. Por isso é importante pensar que não possuímos todos a mesma realidade. O mesmo vale para produtos de higiene e limpeza.

Tomar os cuidados necessários

É importante seguir as recomendações do Ministério da Saúde. Algumas delas: evitar lugares com grandes aglomerações, lavar as mãos de duas em duas horas com sabão, utilizar álcool gel, se dirigir ao hospital apenas em casos urgentes, notificar caso apresente sintomas da doença e não confundir quarentena com férias. Sempre tendo em mente que a prevenção do vírus não reflete apenas de forma individual, mas coletiva.

Leia mais:
Confira a oração pelas chagas do mundo inteiro feita pelo padre Reginaldo Manzotti

Cuidar da sua paróquia

Arquidioceses do Brasil inteiro já divulgaram as ações que recomendam. Dentre elas, foi pedido que não houvesse o abraço da paz, dar as mãos para rezar e um fato muito importante que muitos não estão seguindo é não receber a comunhão na boca. Muitos ministros da eucaristia já possuem idade avançada, por isso é recomendado que receber a hóstia nas mãos, pois é mais seguro para não haver contaminação.

Confiar na misericórdia de Deus

Em épocas conturbadas muitas pessoas acabam se esquecendo da oração, mas é nessas horas que elas mais precisam ser realizadas. Deus é compassivo e cuida de cada um dos seus filhos. Por isso peçamos sua misericórdia divina e a intercessão de Maria, nossa mãe.

Por Redação Catholicus 

Compartilhe:

Faça um comentário