Começou nesta  ultima segunda-feira, 9, a reunião do Conselho de Cardeais com o Papa Francisco. O grupo conhecido como ‘C9’ foi criado pelo próprio Papa para o aconselharem no governo da Igreja e no projeto de reforma da Cúria Romana. A reunião encerra na próxima quarta-feira, véspera do Consistório para a criação de 20 novos cardeais.

Formam o Conselho dos Cardeais, o hondurenho Oscar Rodriguez Maradiaga, que é o coordenador, o italiano Giuseppe Bertello, o chileno Francisco Errazuriz Ossa, o indiano Oswald Gracias, o alemão Reinhard Marx, o congolês Laurent Monsengwo Pasinya, o estadunidense Sean O’Malley e o australiano George Pell. O nono purpurado é o Secretário de Estado, Cardeal Pietro Parolin.
Entre as decisões já tomadas, está a criação de uma estrutura de coordenação para as atividades econômicas e administrativas da Santa Sé e do Vaticano, sob a direção do Cardeal George Pell, membro deste Conselho.

À Agência Ecclesia, o cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Conselho Pontifício da Cultura (CPC), assinalou que a reforma da Cúria Romana passa pelo diálogo com as diversas realidades envolvidas nesse processo.

“É uma reforma de método e é mais do que apenas procurar determinar quais são os controles da Cúria Romana, da sede central, como acontece na banca, nos grandes bancos: grandes centros de poder que controlam a periferia. Não, aqui pelo contrário é tentar um método diferente de diálogo, de relacionamento com as instituições, com as Igrejas, por isso, também com as culturas espalhadas pelo mundo”, sublinhou o cardeal.

“É uma transformação eclesial, não burocrática, eclesial, porque significa que a Cúria Romana já não é autorreferencial, não só porque chegam membros de outras nações, sem ter sempre a prevalência italiana. É concebê-la como uma parte do ministério petrino, que tem a função de ligar na unidade as Igrejas dispersas e servi-las, ajudá-las”, completou.
A Cúria Romana – o conjunto dos dicastérios e dos organismos que coadjuvam o Papa no exercício da sua missão – tem como instituições principais uma Secretaria de Estado, uma Secretaria para a Economia, nove Congregações, três Tribunais e doze Conselhos Pontifícios.


Consistório
No Consistório de 2015, Papa Francisco irá criar 20 cardeais eleitores, provenientes de 14 países. Destes, cinco cardeais estão com mais de 80 anos e não possuem direito a voto em um possível conclave para eleição de um papa. Sobre esses, o Santo Padre disse que os nomeou “pela sua caridade pastoral ao serviço da Santa Sé e da Igreja”.

Fonte: Rádio Vaticano e Agência Ecclesia

Compartilhe:

Faça um comentário