Pastoral Familiar: o futuro da humanidade e da Igreja passa pela família

A importância da pastoral familiar na organização dos eventos paroquiais acontece de maneira eficaz, se houver a compreensão madura de que a finalidade dos eventos, é a valorização da participação das famílias no interior de nossas comunidades. Desta forma, os eventos, passam a ser mais um momento favorável à evangelização. Portanto, o desafio nosso de cada dia, vamos enquanto Pastoral Familiar, propor novas formas de diversões, mais saudáveis e coerentes com a missão de evangelizadores. De posse dos objetivos, vamos às metas:

Propicie a criação de momentos de convivência fraterna para as famílias: A ideia é simples, uma vez que os eventos passam a serem organizados por famílias, eles terão esta identidade, ou seja, toda sua estrutura estará totalmente voltada para atender aos anseios delas. O resultado será atividades que correspondam às diferentes faixas etárias, com intuito de divertir e alegrar pai, mãe, filho, filha e, por que não, o vovô e a vovó?

Promova eventos infantis: Que levem as crianças a descobrirem sua identidade, pois o contrário já é oferecido pela sociedade atual. Enquanto pastoral, temos o dever de alertar os pais sobre os malefícios impostos pela cultura de morte. Um exemplo clássico é a mídia, que na maioria das vezes, conduz a criança, por um mundo imaginário, perverso e ilimitado. Quando na verdade poderíamos propor uma viagem pelo mundo das fantasias, cheio de imaginação, rico em dinamismo e sabedoria. Um evento interessante seria o que vou ser quando crescer? Trabalhando a identidade, fomentando vocações e, sobretudo, a convivência fraterna com os da mesma faixa etária.

Desafie os jovens: Organize eventos para jovens e adolescentes que garantam o desafio, jovens e adolescentes, eles precisam provar que conseguem transpor obstáculos. Uma atividade inteligente seria uma gincana educativa, testando conhecimentos específicos e é claro, valendo premiações, por exemplo, viagens em grupo, pois esta é a idade de viver em “tribos”.

Integre os casais: A pastoral já pode pensar em uma atividade em casal, isto é, se quiser alcançar a participação dos dois. Para o casal existem muitas atividades, mas em especial, eles gostam de refletirem sobre a educação de seus filhos. Uma atividade interessante seria um jogo, que ao final, os pais tivessem a possibilidade de avaliar como está a comunicação entre pais e filhos. Um desafio, por exemplo, comandado por perguntas e respostas que testassem esta convivência familiar.

A pastoral pode ainda preparar eventos que atendam a toda família: almoços, jantares, bailes dançantes, passeios, viagens, romarias, enfim, tudo que possibilite estar juntos, pois o futuro da humanidade e da Igreja passa pela família. Daí, o porquê da Igreja considerar o serviço à família uma de suas tarefas mais essenciais.

Gilmara Gonçalves é Jornalista e Pós-Graduada em Cultura e Meios de Comunicação. Realiza palestras nas dioceses de todo o país sobre catequese.
Site: www.palestrascatolicas.com.br

 REVISTA PARÓQUIAS & CASAS RELIGIOSAS

ASSINE: [email protected]

Compartilhe:

Faça um comentário