Coronavírus: religiosas ajudam meninas com deficiência durante pandemia | Imagem: Reprodução

Religiosas dão suporte para famílias e assistência para meninas com deficiência

Devido à pandemia de coronavírus, instituições educacionais no Quênia foram fechadas. No tanto, para não desamparar os mais necessitados, algumas religiosas continuam cuidando de meninas com deficiência no Lar Limuru Cheshire. Essa é a prova que nos momentos mais difíceis, atos de solidariedade podem trazer luz em meio à escuridão.

O Lar é administrado pela Irmã Rose Catherine Wakibiru, que destacou que cuidam de cerca de 60 meninas, que precisaram voltar para suas casas devido às medidas de contenção do vírus. O Quênia tem mais de 300 infectados e 14 mortes.

Leia mais: 
AJUDE! Paróquia São Francisco de Assis faz campanha para ajudar famílias carentes da comunidade

Com a volta das meninas para casa, nem todas as famílias possuíam suporte para enfrentar a a pandemia de coronavírus, algumas meninas nem possuíam lugar para ficar. Assim, as irmãs da congregação identificaram casas que poderiam abrigar mais alguém além de seus próprios filhos e trabalharam na arrecadação de alimentos para sustentar as famílias por até um mês.

Além disso, com apenas uma semana após o fechamento das portas do Lar Wakibiru, os pais relataram para as religiosas a dificuldade de cuidar de suas filhas com deficiência. Desse modo, as irmãs têm se mobilizado e ido de encontro aos que precisam de ajuda, continuando seu trabalho voluntário de cuidar das meninas, mesmo com a pandemia de coronavírus.

Leia mais:
Padre Reginaldo Manzotti lança DVD “Tempo de Inovar”

“No início da próxima semana, terei coberto todas as casas em Nairóbi e irei para Nakuru, onde temos nossos casos mais necessitados. Fico contente pelo governo ter me concedido uma permissão para viajar e atender nossas meninas”- contou a irmã Wakibiru

Fonte: ACI Digital

 

Compartilhe:

Faça um comentário