Corpos de 8 mulheres vítimas da queda de avião turco são enterrados sob comoção em Istambul
Tia e pai de Mina Basaran choram durante o seu funeral nesta quinta-feira (15) em Istambul (Foto: YASIN AKGUL / AFP)

O corpo de Mina Basaran e os de outras 8 vítimas da queda do avião turco no último domingo no Irã foram enterradas nesta quinta-feira (15). No total, 11 pessoas morreram. A causa da queda ainda é investigada.

O jato particular turco caiu em uma região montanhosa no sudoeste do Irã quando transportava 11 pessoas de Sharjah, nos Emirados Árabes, para Istambul, na Turquia. A bordo do avião estavam Mina Basaran, influencer e filha do empresário turco Huseyin Basaran, sete amigas e três tripulantes. As meninas voltavam da despedida de solteira de Mina em Dubai.

Veja também:
Igreja católica apoia condenação de sacerdote preso por abusos sexuais
Homem é baleado na frente de filho de 5 anos e morre; criança ainda não sabe da morte do pai

Os funerais de Mina Basaran e de outras 8 vítimas foram realizados em diferentes lugares da capital Istambul.

Corpos de 8 mulheres vítimas da queda de avião turco são enterrados sob comoção em Istambul - catholicus
Parentes carregam o caixão de Mina Basaran, uma das vítimas da queta do jato turco no Irã, nesta quinta-feira (15) durante seu funeral em Istambul (Foto: YASIN AKGUL / AFP)

Os corpos de duas vítimas do acidente ainda não foram enterrados. A arquiteta Zeynep Coskun, de uma família de empresários, deverá ser enterrada nesta sexta. O corpo do piloto Beril Gebes ainda não voltou do Irã.

Corpos de 8 mulheres vítimas da queda de avião turco são enterrados sob comoção em Istambul - catholicus1
Huseyin Basaran, pai de Mina Basaran, vela o corpo de sua filha nesta quinta-feira (15) em cerimônia em Istambul ao lado do presidente do Partido Republicano do Povo (CHP), Kemal Kilicdaroglu (Foto: YASIN AKGUL / AFP)
Corpos de 8 mulheres vítimas da queda de avião turco são enterrados sob comoção em Istambul - catholicus2
Pai de Burcu Gundogar Urfali, uma das vítimas da queda do jato turco no Irã, vela o corpo de sua filha nesta quinta-feira (15) em Istambul (Foto: YASIN AKGUL / AFP)

Superar o luto requer tempo

A dor de perder um ente querido é singular. Toda pessoa tem o direito de chorar essa perda o quanto desejar, pois somente ela sabe a dor que passa em seu coração. Em muitos momentos de perda, sempre encontramos os “psicólogos de plantão”, os quais, com suas frases pré-fabricadas, não colaboram em nada com quem está sofrendo a separação. Muitos dizem: “Foi a vontade de Deus”, ou “Ele quis assim!” ou ainda “Foi melhor para ele”. Essas frases pobres e sem fundamento não ajudam em nada; pelo contrário, desfiguram o rosto amoroso do Senhor.

Deus não deseja que o ser humano sofra. O sofrimento é uma condição humana, não um desejo divino. O Senhor é amor, e tudo o que desqualifica o amor de Deus é um jeito impróprio de compreendermos a vida e os seus desdobramentos.

Muitos surgem com frases extremamente “formatadas”, afirmando: “Não chore!”. Como não chorar diante da dor da separação de alguém que nos deixou? Temos, sim, o direito de chorar o quanto quisermos e pelo tempo que desejarmos.

Sufocar a tristeza e as lágrimas pode ser prejudicial

Contudo, o luto é um processo e precisa ser elaborado aos poucos. Sufocar a tristeza e as lágrimas pode ser prejudicial. Dê tempo ao luto, pois pode demorar semanas, meses, até mesmo anos.

Durante esse tempo, é normal que você sinta raiva, chore, se revolte e até mesmo questione Deus. É preciso viver esse “outono” para que um novo tempo comece a surgir lentamente, anunciando novas esperanças.

Muitos querem ficar sozinhos, outros preferem partilhar sua dor com algumas pessoas. Tudo isso ajuda a elaborar o processo do luto na vida. Outros ainda buscarão forças na oração.

Sentimentos de culpa

Durante esse processo, muitos questionamentos podem surgir: Por que ofendi tal pessoa naquele dia? Por que não a abracei mais? Por que não lhe disse que a amava? O que não fiz que deveria ter feito? Muitos outros questionamentos poderão surgir. Não os sufoque, mas também não se prenda a eles. Carregue em seu coração a certeza de que Deus, em Seu amor, acolheu seu ente querido.

Alguns rituais podem nos ajudar a superar para viver o processo do luto. Se desejar poderá escrever em uma folha os bons momentos que juntos viveram e também escrever as dores da saudade.

Poderá ainda acender uma vela e fazer uma oração ao ente querido. Se sentir necessidade de partilhar com um amigo próximo a dor que sente em seu coração, não fique com medo. Fale, partilhe, desabafe. Nesse momento, é normal que as lágrimas venham. Deixe-as cumprir o papel de desabafo e saudades.

No luto sentimos um vazio enorme

O coração sente que falta algo, um espaço foi aberto. A saudade dói, mas não tenha medo de sorrir novamente, de contemplar as flores, de amar e se sentir amado pelos amigos e familiares.

Permita-se recomeçar. A saudade ficará, as lágrimas voltarão, pois o amor que você sente pela pessoa que se foi nunca se apagará. Este amor que você sente lhe dará forças para continuar sua vida e cuidar daqueles que também precisam do seu carinho, do seu abraço e da sua ternura.

Fonte: G1 / Canção Nova
Compartilhe:

Faça um comentário