Curso do Vaticano ensina como expulsar demônios pelo celular

As demandas por exorcismos cresceram tanto que os padres estão expulsando demônios pelo celular, segundo uma conferência do Vaticano sobre exorcismo. Mais de 200 aspirantes a exorcistas se reuniram em Roma para o programa de treinamento de uma semana iniciado nesta segunda-feira (16).

Autoridades da Igreja Católica insistem que o número de pessoas possuídas está aumentando, insistindo que a internet e os programas de televisão provocam um “fascínio” pelo ocultismo.

Leia também:
Seu bebê morreu na hora do parto, ela pediu para segurá-lo e 2 horas mais tarde um milagre
Bispo e padres acusados de desviar dinheiro deixam a cadeia e são recebidos com festa em Formosa

O professor Giuseppe Ferrari, organizador do curso “Exorcismo e Oração da Libertação”, promovido pela Pontifícia Regina Apostolorum, da Universidade de Roma, chancelada pelo Vaticano.

“O número de exorcismos definitivamente aumentou ao longo dos anos, à medida que os pedidos por exorcismos aumentaram”, disse. “Este curso é útil porque prepara os sacerdotes que realizam exorcismos para terem uma visão completa e multidisciplinar da situação”, acrescentou.

O cardeal Ernest Simoni, 89 anos, um exorcista renomado e experiente, ensinará aos mais de 200 inscritos várias “técnicas”. Durante o treinamento chegou a afirmar que “há padres que realizam exorcismos em seus telefones celulares”, o que contraria uma tradição milenar dentro da Igreja Católica.

“Isso é possível graças a Jesus”, afirmou ele na conferência. O professor Ferrari, um dos outros ministrantes, fez uma ressalva: “Os sacerdotes rezam com as pessoas ao telefone para acalmá-las, mas se você não estiver lá, não poderá controlar os aspectos físicos”

Agora em seu 13º ano, a conferência anual é parte de um esforço para aumentar o treinamento de padres na prática do exorcismo enquanto o Vaticano insiste que todas as dioceses do mundo deveriam ter um exorcista treinado. Na Itália há cerca de 300 padres exorcistas para lidar com aproximadamente meio milhão de pessoas que pediram para se livrar da possessão demoníaca na última década.

“A demanda está crescendo, com certeza”, disse o padre britânico Anthony Barratt. “Eu acho que, em parte é devido à internet, que o [satanismo] se tornou tão acessível. Filmes e programas de televisão também são um fator de influência. Há um fascínio.”

Embora a ideia de exorcismo ainda gere alguma controvérsia, os especialistas insistem que podem distinguir entre alguém que está mentalmente doente e uma possessão demoníaca de fato.

“Existe um protocolo. Uma pessoa será encaminhada pelo pároco. Pode então ocorrer uma avaliação de um psicólogo. Eles podem ser bipolares ou ter problemas com o abuso de drogas, o que causa sérios danos ao cérebro. É um processo demorado”, lembra o padre Barratt. “Em geral, apenas um número muito pequeno de pessoas precisa de exorcismo.”

Mas quando é constatada a possessão, os efeitos são dramáticos e incluem demonstração de força sobrenatural, falar em línguas que eles não conhecem, relataram padres na conferência. “Geralmente eles falam latim, hebraico e aramaico”, assinala o padre espanhol Pedro Barrajon, um dos organizadores da conferência.

Fonte: Gospel Prime

Faça um comentário