Dom João Bosco Oliver de Faria: O que eu faria se fosse pároco

Dom João Bosco Oliver de Faria – arcebispo emérito de Diamantina/MG, apresenta algumas sugestões em suas próprias palavras, resultantes de um grande amor à Igreja, hauridas mais no campo da mística e da espiritualidade, que iluminam seu ministério, e oferece aos párocos como construir uma gestão paroquial com perspectiva visando uma comunidade que assume sua missão. Leia e se inspire:

Administração eclesial

O povo gosta de ver a prestação das contas paroquiais afixadas à entrada da sua igreja paroquial ou comunitária. Há duas dimensões primordiais nessa administração. Uma é a do “Sagrado”. Todo o dinheiro que chega a uma paróquia, mesmo aquele proveniente das festas e barraquinhas paroquiais, tem a dimensão do sagrado. Foi ofertado nesta ou naquela oportunidade, mas por uma motivação religiosa, de fé, de oblação pessoal, de um sacrifício de algo do qual a pessoa se priva, por amor a Deus, a Jesus Cristo, à Igreja. A outra dimensão é aquela em que o dinheiro significa o sangue e as lágrimas das pessoas pobres. Por essas duas razões, esse dinheiro queima as mãos de quem o administra indevidamente. A responsabilidade do pároco é a de administrar bem aquilo que é apresentado no altar ou templo do Senhor.

Conheça o CONAGE – Congresso Nacional de Gestão Eclesial

Captação de recursos

Fiz, nesse sentido, uma pesquisa em diversas paróquias de Minas, do Rio e do Estado de São Paulo. Aprendi que métodos, técnicas, discursos, organização, planejamento estratégico, publicidade são questões secundárias. Entendo que o fulcro da questão está na confiabilidade na pessoa do pároco e seus assessores, quanto à gestão do que for ofertado. Aprendi que o povo devolve o que recebe. Nunca faltarão recursos a um pároco probo e sempre disponível ao seu povo.

Gestão de pessoas

Muitos problemas surgem quando se coloca a pessoa errada no lugar errado. Isso significa que o pároco, ao escolher as melhores pessoas para determinadas funções na Igreja, não ouviu terceiros, que conhecem os paroquianos melhor que ele. Nem sempre, aqueles que se oferecem para determinados serviços e têm boa vontade para ajudar são os que deveriam ocupar determinados postos. Investir tempo e trabalho na formação dos leigos é o melhor investimento que um pároco poderia fazer.

Catequese

Entendo que catequese e liturgia são os dois trilhos sobre os quais caminha a locomotiva da Evangelização. Catequese forte, paróquia forte. Liturgia boa, paróquia boa. Catequese fraca, paróquia fraca. Liturgia ruim. O pároco que não investir pesadamente na catequese e na liturgia está brincando de ser pároco.

Plano pastoral

Quem não planeja improvisa. Quem improvisa levanta poeira, mas não constrói a Igreja. Planejando ou não, antes de Sua vida pública, Jesus se retirou 40 dias no deserto, em oração. E Ele é o Filho de Deus, Segunda pessoa da Santíssima Trindade…!

Conheça o CONADIZ – Congresso Nacional da Pastoral do Dízimo e da Partilha

Acolhida

Acolher é diferente de receber bem. Não basta a paróquia realizar uma boa acolhida de seus fiéis. É importante exercer uma atividade de manutenção desse espírito de acolhida diante dos que são e foram acolhidos. Como é bom para a pessoa que recebeu uma orientação espiritual em um momento difícil da vida, ou para um doente que foi visitado, ou, ainda, para uma família enlutada receber um telefonema de quem a atendeu ou visitou! É o que em vendas significa verificar, pessoalmente, com o cliente, se ele ficou satisfeito com o atendimento: o “pós-venda”.

Promoção de eventos

Em uma Igreja que pretende fortalecer a Pastoral do Dízimo, não cabe nenhuma forma de campanha financeira. Toda campanha é anti-dízimo. Se houver a necessidade de fazer alguma campanha, que seja por exceção. Hoje, as famílias não se visitam mais, não conversam, não partilham. Nos aniversários, as conversas são, em geral, formais e superficiais. Uma paróquia que pretenda ser a Família de Deus sente-se na necessidade de provocar o encontro dos filhos de forma descontraída e alegre. Como é bom ser gente, ser conhecido e reconhecido pelo nome, ser pessoa, conhecer pessoas, estreitar novos laços de amizade. A paróquia pode oferecer oportunidade para tal.

Sugestão final

Que o povo veja o pároco rezar na Capela do Santíssimo Sacramento. Que o povo veja o pároco rezar o seu terço. Quanto mais o pároco estiver perto de seu povo, mais ele servirá a Deus. Quanto mais o pároco for de Deus, mais ele servirá a seu povo. Quando as pessoas vão à padaria, elas querem encontrar um pão quentinho. Quando vão ao açougue, elas querem encontrar uma carne de qualidade com bom preço. Quando as pessoas procuram o pároco, elas querem sentir Deus e com preço bom! Somos profissionais do espiritual!

Faça um comentário