Envenenamento de padre no Sul de MG pode ter sido acidental, diz polícia
Foto: Reprodução EPTV

A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o envenenamento do padre Paulo de Oliveira Nogueira Costa, o Paulinho da Canção Nova, e da mãe dele em Ouro Fino (MG). A polícia agora trabalha com a possibilidade de envenenamento acidental. O chumbinho, um tipo de veneno de rato, pode ter sido colocado por acidente em uma carne moída preparada na casa do padre.

Leia também:
Padre Paulinho se pronuncia a respeito do acontecimento, assista
Padre missionário diagnosticado com malária morre em hospital de Uberaba

O padre de 41 anos, visitava a mãe no distrito de Crizólia, quando os dois passaram mal no fim de semana após ingerir a carne. Dois gatos que comeram a carne morreram. O alimento foi comprado em um açougue da cidade, que será investigado pela vigilância sanitária.

O estabelecimento tem o alvará da vigilância para o funcionamento e trabalha dentro das normas exigidas. A produção da EPTV, afiliada da Rede Globo, tentou entrar em contato com o dono do local, mas ele não quis se manifestar sobre o assunto.

Mas o delegado Waldir Jorge Pelarico Juniro, responsável pelo caso, descarta, por enquanto, a possibilidade da carne ter sido comprada já envenenada no açougue. Segundo o delegado, a mãe do padre teria comido a mesma carne na sexta-feira e não passou mal.

“Presume-se, então, que a carne ingerida na sexta-feira não estava intoxicada […] Então, em relação à carne moída adquirida daquele açougue acreditamos que, por hora, não temos nenhum suspeita em relação ao açougue”.

A hipótese de tentativa de homicídio também está na linha de investigação. “Então essas duas possibilidades, nós não estamos descartando. Estamos trabalhando conjuntamente. Com as informações trazidas pra dentro do inquérito por meio das testemunhas e principalmente por meio da oitiva do padre Paulinho, poderemos chegar numa conclusão sobre o fato. Além, é claro, dos testes químicos que serão feitos nos animais e também nos alimentos”.

A Canção Nova, comunidade católica da qual o padre faz parte, informou em nota que acredita que o envenenamento tenha sido acidental, mas aguardas as investigações para esclarecer o caso. Após se recuperar, o padre deve seguir em fevereiro para Portugal, onde cumpre agenda.

O padre Paulinho segue internado no Hospital Santa Paula, em Pouso Alegre (MG). Segundo a família, ele já saiu do CTI e foi transferido para o quarto. Durante a manhã desta terça-feira (30), passou por exames e agora aguarda a alta médica.

Fonte: G1

Faça um comentário