Rose Magrath, de 12 anos, só pôde comparecer a 32 dias durante o ano letivo devido à quimioterapia

Uma menina de 12 anos recém-saída de uma batalha contra um câncer foi expulsa de sua escola na cidade de Battle Creek, no estado de Michigan, nos EUA, porque ela perdeu muitas aulas durante a quimioterapia.

 

 

Rose McGrath vinha sendo tratada desde 2012, quando foi diagnosticada com leucemia aguda. Por conta disso, ela foi obrigada a faltar muitas aulas. A menina pretendia retomar os estudos, mas, na reta final deste ano letivo, foi informada pela Escola Fundamental de St. Joseph que não poderia mais frequentar o local, de acordo com o canal de TV local “WWMT”.

Ainda segundo a emissora, a escola, citou em seu comunicado a baixa frequência da menina e seu fraco rendimento escolar. Durante a reportagem de TV, a menina fica com lágrimas nos olhos ao dizer que “não fiz nada de errado, mas eles mesmo assim se livraram de mim”, que só pôde estar na escola durante 32 dias completos este ano.

“Quando estou em casa, fico doente, me sinto mal. Mas quando estou na escola, sou como todo mundo”, lamentou a estudante expulsa.

“Mesmo após o fim do tratamento, há um longo processo de recuperação, porque ela basicamente colocou dois anos e meio de veneno dentro do sangue. Você não se recupera de um dia para o outro”, disse à TV a mãe da paciente, Barbara McGrath.

A escola informou que tentou aliviar a carga de trabalho escolar de Rose. “Foram circunstâncias extraordinárias, mas tantas acomodações foram feitas que nós sentimos que chegamos a um ponto em que realmente tivemos que ajudar Rose, nos certificando de que ela estava recebendo a assistência necessária”, disse John Fleckenstein, de Batte Creek, afirmando ainda que por motivos de privacidade não poderia comentar o assunto de forma plena.

A família, entretanto, registrou uma queixa na Justiça contra a escola.

 

 

Por O Globo

 

Faça um comentário