Idosa de 81 anos espera há 7 dias na rua para beijar a imagem de Cristo
Foto: ArchiMadrid / José Luis Bolaños

Dezenas de pessoas fazem fila no entorno da Basílica do Cristo de Medinaceli, em Madri (Espanha), para participar do beija-pé que ocorre na primeira sexta-feira de março e que espera a participação de cerca de meio milhão de pessoas.

A devoção ao Cristo de Medinaceli, na Espanha e especialmente em Madri, é muito antiga e popular. Todos os anos, na primeira sexta-feira de março, centenas de milhares de pessoas passam pela Basílica dos Irmãos Capuchinhos, no centro da cidade para beijar o pé da imagem e lhe fazer três pedidos.

Entre estes fiéis, está Manoli, que, embora tenha 81 anos, está na fila na porta da basílica desde o dia 20 de fevereiro. Segundo informações do site da Arquidiocese de Madri, a idosa vai a esta igreja desde que tinha 37 anos e nunca faltou, porque o Cristo de Medinaceli sempre lhe concedeu tudo o que pediu.

Há mais de uma semana, Manoli dorme em uma cadeira de praia na porta da basílica, aguardando a próxima sexta-feira, 1º de março, quando acontecerá o beija-pé de Cristo. Embora passe um “frio insuportável” durante a noite, ela diz que nunca teve “nenhum resfriado, nenhuma tosse ou qualquer coisa assim… Cristo cuida de mim!”.

Veja também:
Papa destaca que trabalho caritativo deve ser alimentado pela oração
O que você deve saber sobre a Quarta-feira de Cinzas

“Eu sempre fui a primeira aqui, sempre. Eu vi chover, nevar, de tudo… E quando alguém vem aqui, diz: ‘Manoli já está aí!’, porque até de carro me conhecem. E enquanto eu puder vir, eu o farei”, enfatiza e declara: “Peço a Jesus que me dê vida e saúde até que Ele queira e precise de mim aqui”.

Uma profunda e antiga devoção

A devoção que reúne dezenas de milhares de pessoas todos os anos remonta ao século XVII. A imagem foi talhada em Sevilha e levada pelos Irmãos Capuchinhos ao Marrocos para o culto dos soldados espanhóis no século XVII.

Durante a guerra no Marrocos, quando a cidade de Mármora caiu nas mãos do Rei Musley Ismael, ele mandou que a imagem do Nazareno fosse arrastada pelas ruas como um sinal de ódio contra a religião cristã.

A história conta que Frei Pedro de los Angeles, Padre da Ordem Trinitária, pediu ao rei o resgate da imagem, como se fosse uma pessoa viva. O rei Musley avaliou o preço da imagem considerando seu peso em ouro. A tradição conta que a balança equilibrou exatamente quando 30 moedas foram pesadas, recordando assim a passagem do Evangelho na qual Cristo foi vendido por 30 moedas. Desde então, tem uma grande fama de ser milagrosa.

A imagem foi para Tetuán e Ceuta (Marrocos) e chegou a Madri no verão de 1682. Foi instalada a princípio no convento dos Padres Trinitários descalços, mas em 1895 ficou definitivamente no convento dos capuchinhos de Santo Antônio do Prado.

É venerada de maneira especial às sextas-feiras e de forma massiva na primeira sexta-feira de março. Dezenas de pessoas esperam dias na entrada do templo para beijar o pé da imagem e fazer três pedidos.

Fonte: ACI Digital
Compartilhe:

Faça um comentário