Inauguram a primeira igreja em Cuba depois de 60 anos de comunismo
Foto: Igreja do Sagrado Coração de Jesus em Pinar del Río (Cuba

No sábado, 26 de janeiro, foi inaugurada com uma Missa na região de Sandino, em Pinar del Río (Cuba), a primeira igreja a ser terminada de construir desde que Fidel Castro tomou o poder em 1959.

A construção da Igreja do Sagrado Coração de Jesus terminou em grande parte graças às doações de fiéis da igreja de São Lourenço, em Tampa, Estados Unidos, que contribuíram com cerca de 95 mil dólares. As duas paróquias mantêm relações desde aproximadamente 2010.

A paróquia de Sandino tem capacidade para 200 fiéis e é uma das três únicas igrejas que tiveram a construção autorizada pelo governo e foi a primeira em ser concluída. As outras duas igrejas em construção estão em Havana e em Santiago de Cuba.

A cidade de Sandino surgiu dos “povos cativos” criados no início da revolução pelo regime comunista para deslocar de maneira forçada as famílias que foram acusadas ​​de participar ou colaborar com a revolta de camponeses nas montanhas de Escambray na década de 1960 para derrubar Castro.

Veja também:
Durante as férias, garoto arrecada materiais escolares para crianças carentes
Visita da Virgem Peregrina ao Panamá foi marcante, diz reitor do Santuário de Fátima

Segundo pesquisadores cubanos, estima-se que cerca de 21 aldeias deste tipo foram construídas, cercadas por arame farpado, onde as famílias poderiam ser monitoradas pelo regime.

Nesse sentido, Juan Hidalberto Hernández, um fiel de 60 anos que nasceu na região vizinha de San Luis, disse à imprensa que “a Igreja é um fato histórico. Este é um povoado dos exilados de Escambray”. “Muitas famílias ou seus descendentes que deixaram para trás seus santos não tinham um templo para orar”, assinalou.

O sacerdote cubano Ramón Hernández, que trabalha pastoralmente em Tampa, esteve presente na Missa de consagração. O presbítero disse que a nova igreja “é uma ponte entre Tampa e Cuba”.

A este respeito, Pe. Steven Dornquast, pároco da igreja de São Lourenço, disse à AP: “estamos vivendo a nossa vocação batismal de sair ao mundo inteiro para fazer discípulos e anunciar o Evangelho de Jesus Cristo”.

“Este projeto é para isso, seguindo o que Cristo nos disse para fazer”, afirmou o sacerdote e indicou que a conclusão do templo faz parte do trabalho de evangelização, para o qual “somos chamados com nosso Batismo”.

Também esteve presente na Missa Caridad Diego, responsável pelos assuntos religiosos do Partido Comunista de Cuba.

Fonte: ACI Digital
Compartilhe:

Faça um comentário