Olhos atentos, corações abertos e um sentimento de saudade no ar. Assim o segundo encontro do Retiro “Por nós e pelo mundo inteiro” realizado no sábado, dia 16 de janeiro, foi o cenário onde cerca de cinco mil pessoas, reunidas no Santuário da Divina Misericórdia, pudessem ter uma experiência com o amor de Deus.

“Estou convencido que Deus tem preparado grandes graças para o Ano da Misericórdia, que são um mistério para nós. Esses planos são escolhidos individualmente para cada um de nós”, afirmou o Padre Micha? Olszewski, SCJ, convidado deste mês.

Para o sacerdote, é preciso perceber que Deus usa outras maneiras para alcançar as pessoas em um mundo em que não desejar ouvir a Sua mensagem. “Deus não usa Facebook, Twitter; Deus fala ao coração. Ele criou uma conta em seu coração, você tem que clicar ‘aceitar’ – sem isso Deus não dará um passo sequer. Aceitar este convite de Deus fará uma revolução em nossas vidas”, explicou ele.

>>> Assista ao vídeo na íntegra
>>> Confira as fotos do evento

Padre Micha? também falou sobre a “tentação de mostrar durante a JMJ que existem muitos jovens na Igreja”. Segundo ele, os números não importam; o objetivo deve ser o encontro com o Senhor: “Se encontramos Jesus, então após regressar iremos querer procurá-Lo ainda mais. (…) Como muitos dois, três, cinco milhões de pessoas podem vir à Cracóvia e partir com um vazio, enquanto poucos, como dez pessoas, podem vir e encontrar o verdadeiro Deus”.

A força do testemunho também foi destacada pelo convidado. “As pessoas perguntam: de onde vem a alegria desta pessoa, esta paz de espírito? O que dá isso a você? Graças aos testemunhos, mesmo hoje muitas pessoas vêm alegrar-se em Jesus. Se estaremos alegres em Jesus de Nazaré, no Evangelho, então iremos puxar outras pessoas conosco”, explanou Padre Micha?.

Deus olha no fundo dos seus olhos
Já na homilia da Santa Missa, presidida pelo bispo auxiliar de Cracóvia e coordenador geral do Comitê Organizador Local da JMJ 2016, Damian Muskus, OFM, a mensagem principal foi a saudade que Deus sente por cada pessoa.

“Hoje podemos substituir as palavras ‘segue-me’ pelas palavras: ‘Homem, Eu estou com saudade de você’. Se ouvimos a palavra “saudade”, não é estranho para nós que alguém levante-se e segue a Deus. A JMJ é uma chance de parar de sentir saudade, pois o desejo foi transformado em estado de presença com Deus não somente por um evento, mas por toda a vida”, afirmou.

Após a Santa Missa, houve uma conferência sobre o sacramento da confissão e sobre Deus como o Pai Misericordioso, a partir do logo do Jubileu da Misericórdia.
“O que fecha nossos ouvidos mais do que qualquer coisa à palavra “saudade” é o pecado. Se nossos corações não estão reconciliados, se naqueles campos durante a JMJ nossos corações não tiverem passado pela confissão, então será inútil, porque teremos os corações fechados”, explicou o sacerdote.

O próximo encontro no Santuário da Divina Misericórdia acontecerá em 20 de fevereiro, também transmitido (em inglês e polonês) em nosso canal no Youtube: www.youtube.com/krakow2016 O convidado será o sacerdote dominicano Padre Adam Szustak.

Fonte: JMJ

Compartilhe:

Faça um comentário