JMJ 2019 Panamá| Imagem: Reprodução

Além de acrescentar na fé, a JMJ 2019 teve grande contribuição econômica para o país.

Dom José Domingo Ulloa, Arcebispo do Panamá, afirmou que a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de 2019, trouxe frutos incontáveis ao país que sediou o evento.

Tal afirmação foi divulgada na coletiva de imprensa da última terça-feira (28), sobre a gestão pastoral e econômica da JMJ 2019.

Com o evento, Panamá recebeu o Papa Francisco, peregrinos, jornalistas e voluntários de 140 países com mais de 25 idiomas diferentes. A missa de recepção do Santo Padre contou com cerca de 250 mil pessoas.

Leia mais:
Preparativos para a JMJ Lisboa 2022 estão a todo vapor

Durante a coletiva, a auditoria do evento revelou dados econômicos acerca da JMJ Panamá 2019. De acordo com o relatório, a Fundação responsável recebeu 21,3 milhões de dólares, dos quais 15,5 milhões foram das inscrições dos peregrinos; 3,2 milhões de dólares de doações; 1,4 milhão de “outros ingressos”; 990 mil dólares de patrocínios; e 92mil dólares foram do “Fundo de Solidariedade”, informou a agência TVN Notícias.

Os gastos contabilizados foram de 20,7 milhões.

Leia mais:
JMJ 2022: Jovens de Portugal peregrinam a Roma para início da preparação do evento

O evento teve sua maior contribuição na visibilidade que trouxe para o país, que influenciam diretamente no turismo e na economia:

“Se contabilizarmos a contribuição dos meios de comunicação, dos privados de liberdade, dos lares de acolhida e dos ‘milhares e milhares de voluntários’, as cifras seriam astronômicas”, disse Dom Ulloa.

Fonte: ACI Digital

Compartilhe:

Faça um comentário