Um manifestante jogou um jornal no rosto de Francisco, no segundo dia da vista do papa ao Chile, em 16 de janeiro de 2017.

Francisco ficou surpreso com a agressão, mas continuou a acenar para os fiéis, como nada tivesse ocorrido.

Naquele mesmo dia, durante encontro com autoridades chilenas, Francisco pediu perdão pelos crimes de pedofilia cometidos pelos padres no país.

Veja também:
Vídeo; Papa Francisco desce do papamóvel para ajudar policial que caiu de um cavalo
Papa celebra casamento a bordo de avião durante voo no Chile

Para vítimas de padres e seus parentes e parte dos chilenos, Francisco deveria pedir menos “perdão” e agir mais.

Um dos acompanhantes do papa no Chile foi o bispo Juan Barros, que por muitos anos deu cobertura ao padre pedófilo Fernando Karadima.

Os chilenos queriam que o papa afastasse Barros de suas atividades, o que não ocorreu.

Os protestos começaram antes da chegada de Francisco.

Manifestantes jogaram bombas em pelo menos dez igrejas, fato até então inédito na América Latina.

Assista ao vídeo:

Fonte: Filhos de Deus

Faça um comentário