nota de condolências dom remídio bohn

A Arquidiocese de Porto Alegre comunicou, com pesar, que faleceu no sábado à tarde, 6 de janeiro, no Lar Sacerdotal, em Gravataí, Dom Remídio Bohn, bispo diocesano de Cachoeira do Sul. Ele foi membro do presbitério desta arquidiocese (Porto Alegre, RS), onde também serviu como bispo auxiliar.

O clero, os consagrados e o laicato foram convidados a participar, neste domingo, 7 de janeiro, das celebrações de sufrágio e gratidão a este bom pastor que agora repousa nos braços do Pastor Eterno. Às 8h houve missa de corpo presente na Catedral de Porto Alegre. Às 11h foi celebrada missa na capela Cristo Rei, comunidade São Roque, na cidade da Feliz. Às 18h30 foi celebrada missa de exéquias na Catedral de Cachoeira do Sul, Após a missa, o corpo foi sepultado em uma cripta.

Leia também:
CNBB envia Nota de Condolências pela morte de dom Luís Herbst
Papa Francisco telefona para a mulher que perdeu dois filhos no Natal

Que o Senhor o acolha entre seus eleitos.

(Texto publicado no Facebook pela arquidiocese de Porto Alegre)

A Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB) publicou nota de pesar assinada por dom Leonardo Steiner, secretário-geral.

Leia a Nota.

Nota de Condolências da CNBB pelo falecimento de dom Remídio Bohn

Brasília, 07 de janeiro de 2018

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) recebeu com pesar a notícia do falecimento de dom Remídio Bohn, bispo de Cachoeira do Sul (RS), ocorrido na tarde deste sábado, 06 de janeiro. Manifestamos a nossa solidariedade fraterna aos familiares e às comunidades da diocese com os nossos cumprimentos nesta hora em que todos celebram a Páscoa desse nosso Irmão que depois de servir, como bispo auxiliar, a arquidiocese de Porto Alegre, desde 2012 esteve no governo da diocese de Cachoeira do Sul.

Recorremos às palavras de São João Paulo II, para manifestarmos nossa proximidade com os familiares e com toda a Diocese de Cachoeira do Sul. Na Encíclica Evangelium vitae, ele afirma: “Até a morte, aliás, não é de forma alguma aventura sem esperança: é a porta da existência que se abre de par em par à eternidade e, para aqueles que a vivem em Cristo, é experiência de participação no mistério da sua morte e ressurreição”.

Na despedida desse nosso Irmão, vamos recordar a beleza do seu lema episcopal: “Omnes Fratres Sumus” (“Todos somos irmãos”). Essa certeza, expressada nesse lema, é também o fundamento de nossa esperança maior, nesse momento de dor: somos todos irmãos e temos o mesmo destino que é caminhar, nesta terra, para um dia participarmos, juntos, da convivência eterna com o Pai.

Enviamos o nosso abraço a todos e as nossas orações.

Em Cristo,

Dom Leonardo Ulrich Steiner

Bispo auxiliar de Brasília

Secretário-Geral da CNBB

Fonte: CNBB

Faça um comentário