coroinha jovem assassinado

Eduardo Mathias Correa, de 18 anos, é o jovem protagonista da trágica história que gerou estupor no Paraguai e no mundo.

O ajudante de cozinha, que era também coroinha da Paróquia São Domingos Sávio, na cidade de Fernando de la Mora, voltava do trabalho com um colega quando foi surpreendido por assaltantes que chegaram de moto, armados de faca, e exigiram seu celular. Agressivos, eles esfaquearam o jovem na altura do coração.

Leia também:
Papa Francisco responde carta com orientação para jovem de Caçapava, SP
Você é madrinha ou padrinho? Sabe o que isso significa?

“Por causa de um maldito celular, que ainda por cima eles nem levaram! Deixaram ele lá jogado e eu pedi socorro da polícia”, contou à imprensa o colega de trabalho que testemunhou o crime.

Mas a situação, já grave até aqui, teve um desenlace ainda mais trágico.

Um policial ajudou a levar o jovem ferido até um hospital da localidade, mas a resposta causou indignação nacional. O médico plantonista, segundo os denunciantes, se negou a prestar a Eduardo os primeiros socorros.

O pai do rapaz, que denunciou o médico por omissão de assistência, declarou que a única coisa que o homem dizia naquele momento era que “não sabia o que fazer”.

Os acompanhantes precisaram então levar Eduardo, de carro particular, a outro centro médico. Mas, quando chegaram, ele não tinha mais sinais vitais.

Eduardo Mathias Correa, vítima da violência e do despreparo dos prestadores de serviços públicos fundamentais em mais um país latino-americano, recebeu homenagens do Club Sport Facultad de San Lorenzo e do padre Víctor Cabañas, da congregação salesiana.

Faltam agora as medidas de parte das autoridades para, ao menos, evitar que a sua morte absurda fique sem gerar melhoras para a sociedade do país – como também é frequente em tantas nações deste continente.

Fonte: Aleteia

Faça um comentário