Francisco, em seu sétimo vídeo do ano, pede que os sacerdotes de todo o mundo se sintam acompanhados e apoiados em suas tarefas. Também destaca a variedade de atividades que eles realizam e o cansaço que muitas dessas atividades podem gerar.

Rezemos juntos para que os sacerdotes que vivem com dificuldade e na solidão o seu trabalho pastoral se sintam ajudados e confortados pela amizade com o Senhor e com os irmãos”, afirmou o Papa. “Nesses momentos, é bom lembrar que as pessoas amam seus pastores, precisam deles e confiam neles”, acrescentou.

Leia também:
Ordenação de mulheres não é solução para a Igreja, assegura autoridade vaticana
8 magníficos santuários em que a fé católica refulge há séculos na França

Segundo o último Anuário Pontifício, no mundo existe 415.656 sacerdotes. 37,4% se concentram na América, seguida da Europa com 31,6%, depois a Ásia com 15,1%, África com 13, 4% e, por último, Oceania com 2,5% dos presbíteros. Todos eles devem desenvolver seu trabalho pastoral para alcançar os mais de 1,2 bilhão de católicos distribuídos pelos cinco continentes.

“O cansaço dos sacerdotes… sabem quantas vezes penso nisto?”, refletiu o Papa. “Diante de tantos desafios não podem ficar parados depois de uma desilusão”, acrescentou.

“A missão que o Senhor confia a seus ‘pastores’ é maravilhosa e constitui uma vocação que transcende por completo a vida de qualquer sacerdote; implica uma total entrega a serviço dos outros e à missão, mas é muito exigente e sem uma profunda amizade com o Senhor, sem oração e o apoio de uma comunidade não é possível. Por isso o Papa convida a acompanhar com amizade os sacerdotes”, argumentou o Pe. Frédéric Fornos, SJ, diretor internacional da Rede Mundial de Oração do Papa (Apostolado da Oração) e do Movimento Eucarístico Jovem.

Os sacerdotes na sua missão pastoral – O Vídeo do Papa – Julho 2018

O sacerdote da sua paróquia está sempre à sua disposição: para celebrar a missa, visitar uma pessoa doente, falar com alguém que não tem ninguém para ouvir e muitas outras coisas. Mas ele não é um super homem. É uma pessoa que, às vezes, como todos, também sente-se sozinho. Nesses momentos de solidão você pode fazer muito por ele. Escutá-lo, visitá-lo, sorrir para ele. Ele precisa disso.

Posted by Aleteia Português on Tuesday, July 3, 2018

Fonte: Aleteia

Faça um comentário