O que é “querigma”?
Foto: Divulgação

A verdadeira evangelização começa com o querigma

A palavra “querigma” tem sua raiz relacionada com os arautos reais – os “quérix” –, homens que percorriam os reinos proclamando as notícias relacionadas com a vida palaciana.

Na tradição cristã, a palavra querigma se tornou sinônimo do primeiro anúncio das verdades da fé. Os discípulos, após a morte de Jesus, saíram pelas cidades e povoados anunciando o querigma do Reino de Deus, que, nas Escrituras, é assim resumido: “Jesus de Nazaré foi morto, ressuscitado e exaltado à direita de Deus Pai”.

Essa afirmação é o centro da fé cristã. Entre os apóstolos, São Paulo é muitas vezes chamado de grande missionário querigmático, já que ele soube mais do que ninguém propor as bases do Evangelho e o nome de Jesus para muitos povos e muitas culturas diferentes. O querigma cristão consiste na apresentação de Jesus com seus três grandes títulos: Salvador, Senhor e Messias.

Veja também:
Por que nos ajoelhamos durante a missa?
O significado da cruz de Santa Brígida

Todos os que desejam seguir Jesus Cristo passam, necessariamente, pelo anúncio primeiro da fé, pelo despertar do amor a Jesus Cristo. O querigma é, então, o primeiro anúncio do Evangelho para aquelas pessoas que ainda não conhecem Jesus Cristo. A palavra anunciada não é uma teoria. É a Boa Notícia que revela o amor de Deus pela humanidade na entrega de seu Filho Jesus.

A verdadeira evangelização começa com o querigma, que dá vida nova, experiência de fé, Boa-Nova e poder do espírito. Só os que são enviados têm autoridade para anunciar o querigma. A evangelização tem um processo próprio que não se deve inverter, sob pena de perder a força intrínseca da Palavra de Deus: primeiro, deve-se apresentar Jesus, centro e base da Boa-Nova; depois, e somente depois, é que se devem expor as verdades, leis e exigências desse Jesus.

A continuidade do anúncio querigmático é a catequese. O querigma inaugura a experiência da fé; a catequese sedimenta esse amor, primeiro por meio do desenvolvimento das verdades e doutrinas e da adesão contínua ao projeto de Jesus. Ainda que sejam interdependentes, pois são formas de evangelização essenciais para a vida do cristianismo, o anúncio inicial e a catequese são modos distintos de inserir o cristão no seguimento de Jesus Cristo. Ambas as ações são necessárias e delas resulta o verdadeiro espírito missionário, que movimenta nossa Igreja.

Fonte: Aleteia

Faça um comentário