O que significa dizer que Jesus Cristo é ao mesmo tempo verdadeiro Deus e verdadeiro homem?
Foto: Divulgação

Em Jesus, Deus tornou-Se verdadeiramente um de nós e, portanto, nosso irmão. Todavia, Ele não deixou de ser Deus em nosso Senhor. O concílio de Calcedônia ensinou, no ano de 451, que a divindade e a humanidade estão unidas – <<não separadas nem misturadas>> – na única pessoa de Jesus Cristo. [464-467, 469]

A Igreja precisou de muito tempo e esforço para conseguir expressar a relação entre a divindade e a humanidade em Jesus Cristo. Divindade e humanidade não são rivais, de modo a que Jesus só parcialmente fosse Deus e só parcialmente fosse homem; as dimensões divina e humana também não estão misturadas. Deus em Jesus, não tomou só aparentemente um corpo humano (docetismo); Ele tornou-Se realmente homem. Além disso, a pessoa divina e humana não corresponde a duas pessoas distintas (nestorianismo).

Veja também:
4 informações básicas sobre a Quarta-Feira de Cinzas
30 sugestões de penitência para a Quaresma

Finalmente, a natureza humana não foi totalmente absorvida pela natureza vidinha (monofisismo). Contra Cristo é, conjuntamente, verdadeiramente Deus e verdadeiramente homem. As famosas expressões “nem separadas nem misturadas” (Concílio de Calcedônia) não procura explicar o que é superior à compreensão humana, mas determinar os pontos angulares da fé; ela aponta a direção em que pode ser procurado o mistério da pessoa de Jesus Cristo.

Fonte: YOUCAT / Cléofas
Compartilhe:

Faça um comentário