Se tratando de gestão nas paróquias e casas religiosas, destacamos várias vertentes que auxiliam em sua compreensão e criando um espaço democratizado para unir a administração com a comunicação, seja interna ou externa. O que ainda lembramos é o compromisso associado à missão de cada gestor ou gestora que atende os requisitos para executar este ‘cargo’ tão próprio e exigente.

Nesse sentido, frisamos as referências em administração apresentadas pela revista Paróquias & Casas Religiosas, que orientam as tarefas e atividades de sua paróquia ou instituto. Isso revela que cada um deve observar os elementos que agregam seu precioso trabalho como gestor(a) religioso(a).

Matéria da Revista Paróquias – Leia e aprenda muito mais sobre Comunicação Eclesial – ASSINE JÁ!

Quando usamos a palavra organização é indispensável entender que esse detalhe define as ações que se aplicarão na gestão. Uma paróquia organizada atende seus paroquianos com a missão de satisfazer suas necessidades, contribuindo para que todos se unam em uma única missão, que é evangelizar. Por isso, para que possa gerenciar sua instituição e buscando um relacionamento sempre atualizado com os fiéis, é importante que utilizemos dos meios de comunicação para impulsionar a relação entre pároco e paroquiano. É notório que além da acolhida fraterna, é bom obter algumas estratégias em relações públicas para ajudar na condução do seu trabalho missionário.

7 estratégias para utilizar no relacionamento com a comunidade

1ª. Crie novas formas de abordagem com os fiéis, possibilitando que ambos busquem interagir com alguma mensagem que mostre esta acolhida permanente na comunidade;
2ª. Torne acessível um diálogo exclusivo com aqueles e aquelas que procuram e participam da paróquia, porque as pessoas querem autenticidade nas palavras;
3ª. Conduza os paroquianos e fiéis para que façam da comunidade um ambiente propício de comunhão e estejam preparados para comunicar entre si;
4ª. Comunique de forma que a palavra expressa seja identificada com a mensagem do mistério encarnado do Jesus de Nazaré, pois as pessoas percebem quando realmente são acolhidas pela obra de Deus em suas vidas;
5ª. Prepare suas atividades de forma que cative e envolva seus paroquianos e paroquianas ajudando-as a celebrar o mistério da fé;
6ª. Forme uma equipe comprometida fomentando vivência comunitária, porque comunicar é entrar em sintonia com todas as pessoas;
7ª. Articule ações que envolva as pessoas, comunicando e criando espaços relacionais motivando-as compreender uma linguagem que ajude a viver o mistério.

Nesse sentido, há diferentes e diversas estratégias que mostram caminhos possíveis para contribuir na gestão de paróquias e casas religiosas. Estes breves exemplos somente vêm para acrescentar e mostrar que a dinâmica da administração eclesial abrange um universo ainda a ser explorado, quando assunto é comunicar bem com a comunidade. Exige muita determinação e convicção para acompanhar e viver momentos fecundos com as pessoas que confiam na Igreja. Assim, você, leitor(a), pode elaborar outras estratégias e ações em comunicação para cativar cada vez mais seus paroquianos e fiéis.

Marcelo dos Santos é Diretor Editorial da Revista Paróquias & Casas Religiosas, Pós-Graduado em Comunicação Social, Bacharel e Licenciado em Filosofia e História, pela PUC-Campinas/SP, Bacharel em Teologia, pelo ITESP. Autor do livro “Sob a Luz do Evangelho”, publicado pela Editora A Partilha.

Fonte: Revista Paróquias, ed. 47. Para ler mais matérias sobre gestão eclesial, assine já: (12) 3311-0665 ou [email protected]

Compartilhe:

Faça um comentário